Espacojames



Página Inicial
Listar Resposta Católica


Como Baixar o vídeo para seu computador? Copie o link deste vídeo [ https://www.youtube.com/watch?v=3BkQ9IXykmE ] depois, entre neste site: [ http://pt.savefrom.net ] cole o link no campo indicado e clique na seta > para baixar. Não precisa instalar nada, todo o processo é online.


Artigo N.º 15754 - 262 – A Resposta Católica: A Unção dos Enfermos é um sacramento?
Artigo visto 495




Visto: 495
Postado em: 25/03/20 às 18:55:28 por: James
Categoria: Resposta Católica
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=197&id=15754
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Resposta Católica


São muitos os hereges que, desde a Idade Média até tempos mais recentes, insistem em negar a natureza sacramental da Unção dos Enfermos. Não seria ela um simples “ritual de cura”? E, se é um dos sete sacramentos, como podemos ter certeza disso?

É a Unção dos Enfermos um verdadeiro sacramento instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo? A pergunta talvez soe como um “escolasticismo” sem propósito, mas tem a sua razão de ser, já que são muitos os hereges que, desde a Idade Média até tempos mais recentes, insistem em negar a natureza sacramental da Unção dos Enfermos. Um deles foi Lutero, que em algumas obras a rebaixa à condição de mero sacramental; outro foi Calvino, para quem a unção de que nos fala S. Tiago em sua carta nada mais é do que parte de um ritual para uma cura carismática.

Não é essa, porém, a fé da Igreja. Segundo a doutrina católica, com efeito, a Unção dos Enfermos é, sim, um verdadeiro sacramento da Nova Aliança, quer dizer, um sinal sensível instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo para significar e produzir em nós a graça divina, mas que foi promulgado pelo Apóstolo S. Tiago. Assim o definiu solenemente no séc. XVI o Concílio de Trento, confirmando o que desde tempos primitivos criam todos os fiéis católicos. Eis as palavras do Concílio (Sessão 14.ª, de 25 nov. 1551: DH 1695):

Esta sagrada unção dos enfermos foi instituída pelo Cristo, nosso Senhor, como sacramento do Novo Testamento, no sentido verdadeiro e próprio, indicado por Marcos (cf. Mc 6, 12-13) e, ademais, recomendado aos fiéis e promulgado por Tiago, Apóstolo e irmão do Senhor. Ele diz: “Está enfermo alguém dentre vós? Chame os presbíteros da Igreja e orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o enfermo e o Senhor o aliviará, e, se estiver com pecados, ser-lhe-ão perdoados” (Tg 5, 14-15).
Além da palavra definitiva e segura do Magistério da Igreja, que nos garante com autoridade infalível a sacramentalidade da Unção dos Enfermos, sabemos que este não poderia, de forma alguma, ser entendido como um simples “ritual de cura”, porque as próprias Escrituras Sagradas atestam que a finalidade essencial e primária dela não é a cura física. Ouçamos outra vez o que nos diz S. Tiago sobre a administração deste sacramento: “Está enfermo alguém dentre vós? Chame os presbíteros da Igreja e orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o enfermo e o Senhor o aliviará, e, se estiver com pecados, ser-lhe-ão perdoados” (Tg 5, 14-15).

Ora, é evidente que nenhum dom carismático nem ritual algum de cura, ainda que instituído pela Igreja, tem o poder de salvar e perdoar pecados. Apenas um sacramento, isto é, um sinal eficaz da graça divina instituído por Cristo pode ter essa capacidade. E as palavras do Apóstolo deixam mais do que claro que a Unção dos Enfermos tem, sim, essa virtualidade. De fato, como efeito comum aos outros sacramentos, a Unção dos Enfermos aumenta a graça santificante naquele que a recebe com as devidas disposições: “A oração da fé salvará”; como efeito especial primário, ela confere uma graça reconfortante contra as relíquias do pecado, quer dizer, contra a debilidade causada pelos pecados passados: “O Senhor o aliviará”; e, como efeito especial secundário, a unção pode também perdoar os pecados veniais e mortais, se os houver: “Se estiver com pecados, ser-lhe-ão perdoados”, contanto, é claro, que o enfermo a receba de boa fé e tendo ao menos atrição sobrenatural de suas culpas.

Além disso, é doutrina certa e comum que a Unção dos Enfermos pode, embora isso não seja necessário, devolver a saúde física ao enfermo, se assim for conveniente ao bem espiritual dele. Eis por que nem sempre à recepção da Unção dos Enfermos se segue a cura do corpo: este sacramento não foi instituído, primária e fundamentalmente, para dar saúde física, mas para dar saúde espiritual, fortalecendo o fiel no momento mais delicado da vida, que é a hora da morte, e preparando-o de forma próxima e imediata para entrar na vida eterna.


Fonte: www.padrepauloricardo.org



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!

Lenço Branco de N. Senhora
Saiba o que é, como fazer e as orações necessárias.
Óleo de São Rafael e Santa Filomena
Saiba mais sobre este santo remédio em tempos difícies
As 15 Orações de Santa Brígida
As promessas de Jesus para a alma que rezar estas orações.
Jesus eu Confio em vós
Nada negarei a alma que às 3 hs da tarde recitar minhas orações
Devoção às Gotas de Sangue de Cristo
Será livrado das penas do Purgatório.
Para os irmãos protestantes
Foi no colo de uma mulher que Deus colocou toda esperança do mundo



Total Visitas Únicas: 8.691.441
Visitas Únicas Hoje: 65
Usuários Online: 203