Espacojames


Página Inicial
Listar Artigos Site Aarão




Artigo N.º 6579 - Mulheres de calças - parte 2
Artigo visto 2715 vezes




Visto: 2715
Postado em: 07/11/10 às 13:45:35 por: James
Categoria: Artigos Site Aarão
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=50&id=6579
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos Site Aarão

A hierarquia de autoridade era um detalhe muito pequeno no plano original de Deus. Quando não havia pecado, não havia perigo de conflitos referentes a vontades ou direções. Mas tão logo entrou o pecado no mundo, a necessidade de autoridade e comunhão vieram com ele. Imediatamente depois da queda, em Gênesis 3:16, Deus detalhou Seu padrão [para a humanidade]. “E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.”

Dr. Charles Keen, em uma de suas mensagens sobre o lar, disse algo assim: “Gosto que meus filhos reconheçam quem é o cabeça da nossa casa. E eles percebem e aceitam que o papai é o cabeça e que a mamãe está abaixo de sua liderança. Mas quando os dois estão cheios do Espírito Santo e operam em amor e consideração de um para com o outro, são poucas as vezes nas quais é necessário que esta hierarquia seja acionada e visivelmente demonstrada. Uma união perfeita, aquela que Deus quis [originalmente] para o matrimônio, não necessitou [muito] de uma hierarquia de autoridade. Mas hoje, como pecadores, temos que ter esta regra de autoridade em nossos lares. [Mesmo que,] quando o nosso propósito e desejo for unido, haverá pouca demonstração (a um expectador externo) de quem manda e de quem é submisso. Este é o tipo de clima amoroso que quero ver no meu lar”.

Com o pecado, veio a necessidade de autoridade e de submissão, e a Bíblia é clara em declarar que o comprimento do cabelo (verdadeiramente feminil) de uma mulher é uma manifestação da sua entrega interior à autoridade de seu marido. Imediatamente, depois destes versículos, a Bíblia segue dizendo: “Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos...Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido? Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu.” (I Coríntios 11:10,14,15). A palavra “poderio” significa “jurisdição”,”privilégio, direito de governar” [referindo-se a seu marido]. Então, o cabelo longo de uma mulher mostra o direito de seu esposo ser seu cabeça.

Estes versículos nos dão normas específicas sobe o comprimento do cabelo de uma mulher. "Mas quando curto é curto e quamdp comprido é comprido?" Estou certa de que já ouvi esta pergunta antes! O cabelo de uma mulher deve ser suficientemente comprido para ser considerado um véu ou "ter um tamanho que cubra". [Cubra o que? Bem,] quando o cabelo de uma pessoa cresce ultrapassando as fronteiras entre o couro cabeludo e a pele sem cabelos, qual é a primeira coisa que cobre? A orelha e o pescoço, certo? Para passar no exame de I Coríntios 11, o cabelo de uma mulher deve ter o tamanho suficiente para cobrir [totalmente] as orelhas e o pescoço; e o cabelo de um homem deve ser curto para não tocar as orelhas nem o pescoço.

Deus disse que uma mulher deve ter cabelo comprido. Primeiramente, é um símbolo externo de sua submissão voluntária a seu marido. Segundo, Deus nos disse que isto é por causa dos anjos. Talvez a questão do comprimento dos cabelos não pareça algo muito importante a outras pessoas; mas Deus disse que, na área espiritual, isto é muito importante, porque é observado por seres espirituais. Devemos concluir, então, que não só os anjos, mas também Deus e Satanás, observam o comprimento do cabelo de uma mulher e o significado que ele encerra.

Vejamos outra vez I Timóteo 2: “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia ... A mulher aprenda em silêncio, com toda sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão.” (versos 9,11-14) Deus nos mostra a relação entre o cabelo da mulher e sua voluntária submissão à autoridade dada por Deus. E nos mostra outra vez a relação entre uma mulher usando roupa pudica por fora e sendo submissa a seu esposo por dentro. Imediatamente depois do mandamento para a mulher usar vestidos compridos e largos, se mostra outra vez a hierarquia de autoridade. Não somente nosso cabelo, mas também nosso vestido é um sinal exterior de nossa submissão interna a Deus e a nossos esposos.

Na parte dois, com a carta de um pervertido escrita a Ann Landers, mostrei qual é nossa resposta natural quando um homem se veste com roupa feminina. Ninguém nos ensinou: “Isto é mau! Isto é mau!” Ninguém teve que fazê-lo. Já sabemos que é mau. Tanto como a “natureza mesma nos ensina” sobre o comprimento do cabelo de homens e mulheres, assim também nos ensina que é tão mau para o homem usar vestido quanto é mau para a mulher usar calças compridas.

A Bíblia nos mostra a relação entre a submissão e a rebelião de uma mulher no modo de se vestir.

Calças compridas sempre têm sido símbolo do homem e de sua autoridade. Quando se procura um banheiro público, vê-se duas portas sem palavras nelas. Uma porta tem pintada a sombra de uma mulher com saia e a outra a sombra de um homem com calças. Isto lhe causa dúvidas? Faz com que você se detenha em frente à porta e pense: "Qual é qual"? Claro que não! Já sabemos, pois calças têm sido associadas a homens, através dos séculos. [Características e exclusivas dos homens]. Mesmo o mundo o sabe. [Infelizmente, hoje, porém,] se tomássemos esses símbolos seriamente [segundo o uso recente], necessitaríamos de apenas um banheiro porque quase todo o mundo se veste de calças compridas hoje em dia. (Isto chegará a ser algo muito comum: um só banheiro para mulheres e homens!).

Por muitos anos, tenho escutado pessoas dizerem isto: “Não há dúvidas sobre quem veste as calças compridas nesta família.” As calças são um símbolo da autoridade do homem. Quando uma mulher se veste com calças compridas, mostra em seu corpo uma mensagem sobre o que há em seu coração. A Sra. Libby Hanford fez uma declaração de extrema verdade e poder quando deu título a seu livro: “Tua Roupa Fala Por Ti.” [Amiga,] a roupa que você usa diz muito de você mesma. Quase todas as pessoas que você vê todos os dias não se detêm para  lhe falar, mas podem ler claramente a mensagem que você dá, pela maneira como se veste.

Então, que dizem suas calças compridas de você? “Eu sou meu próprio chefe. Eu tomo as rédeas, e meu marido ou meus parentes não têm nenhum direito de dizer-me o que fazer. Eu recuso obedecer à autoridade que Deus pôs sobre mim.” Isto é clara e simples rebelião. O primeiro pecado na História foi a rebelião. Satanás se exaltou a si mesmo contra Deus e caiu de sua grande posição no céu. Todo pecado que já se cometeu provém deste pecado.

O primeiro pecado da humanidade teve suas raízes na rebelião. O Diabo prometeu a Eva: “Sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.” Parte da tentação que fez Eva cair foi o desejo de ser como Deus, não em santidade mas em poder e autoridade. Satanás animou Eva a compartilhar o pecado da rebelião e nos anima na mesma direção. Eu nunca compreendi porque o pecado de vestir-se com roupa de homem era tão grande abominação quanto as mais horrendas ações imagináveis. Eu não entendi isto, até que me dei conta de que o pecado da rebelião era a base de toda a questão.

De acordo com tudo que temos estudado na Bíblia, a mulher que veste calça comprida é claramente um símbolo de rebelião. É por isso que esta moda é uma das ferramentas favoritas usadas pelo Diabo. Note bem: depois de popularizadas, as calças compridas não saíram mais de moda, o que é o normal para todo artigo de vestiário. Calça comprida para mulheres é uma das seleções favoritas de “roupa mundana” que o deus deste mundo quer que usemos, porque indicam claramente seu pecado favorito: a rebelião.

Muitas mulheres são rápidas para citar  I Samuel 16:7 "... o homem vê o que está diante dos seus olhos, porém o SENHOR olha para o coração." Sim, é verdade. Uma pessoa que se cobre por fora, vestindo-se corretamente, mas cujo coração está cheio de maldade, não pode enganar a Deus. Deus olha o coração, mas isto não significa que Deus está cego à aparência externa. A Bíblia é muito clara em dizer-nos que nossa aparência é importante, se não fosse assim estes versículos não se encontrariam em suas páginas. Também não esqueçamos que “O homem vê o que está diante de seus olhos.” As pessoas não podem ver nossos corações para saber o que há dentro, mas elas podem discerni-lo pelo que estão vendo por fora.

Quando um caçador vê um pássaro gordo, com um bico grande e amarelo que caminha para o lago, mata-o antes de saber que animal é? Não, não faz isto. Você diz: “Ali vai um pato.” Agora, como se pode captar tanta informação sem ter visto o que havia por dentro? Será que Deus nos fez de modo que (quase) tudo que está por dentro possa ser identificado pelo que se vê no exterior?

Um livro é reconhecido por sua capa. O que está escrito na capa dá uma idéia geral do que se encontra em suas páginas. Ninguém colocaria por título “Como Cozinhar” na capa de um livro cheio de plantas de casas. Da mesma maneira, o que está dentro do nosso coração está claramente refletido para fora através de nossas ações, nossas atitudes e também nossa roupa. Se sua roupa fala por você, então o que está ela dizendo ao mundo?
 
PARTE 4
Quão rápido a gente esquece! Quando se fala de normas bíblicas de se vestir, muita gente olha como se nunca se tivesse escutado tais coisas. Mas eu me lembro, durante meus tempos de escola pública, quando eu ia comprar roupa para a escola: significava ter que comprar vestidos! Ou saias! Eu estava no quinto ano quando permitiram às professoras e às alunas vestir calças compridas na escola. As mulheres que trabalhavam no banco que ficava no outro lado da rua, eram obrigadas a trabalhar com vestidos como o era em quase todos os empregos.

Desculpe-me, mas eu não sou tão velha. Isto sucedeu há apenas uns 20 anos! Isto era o mundo, as igrejas e tudo o mais. Mas se você mencionasse isto a alguém agora, o olhariam como se estivesse se referindo às trevas da Idade Média . Como é que em 20 anos partimos do ponto em que as mulheres se vestiam com vestidos e saias em público, até o ponto em que muitas mulheres da minha idade, e as mais jovens, não têm um só vestido em seus guardas-roupas?!...

É só uma coincidência que, durante o mesmo período, o nível de divórcios subiu, de modo que, de cada 2 casamentos, 1 resulta em divórcio, e, em alguns lugares, há hoje mais divórcios que casamentos? Não é por acidente que durante estes 20 anos temos experimentado o maior desmoronamento tanto do lar quanto do papel tradicional e bíblico de esposos e esposas, o que tem afetado até mesmo as famílias dos crentes. Há, agora, mulheres que têm uma carreira enquanto seus esposos se tornam “o Sr. Mamãe” e ficam em casa com os filhos. Em muitas famílias o esposo e a esposa têm trabalhos diferentes, vivem vidas independentes um do outro e deixam que outros cuidem de seus filhos ou permitem que se cuidem a si próprios.

Da mesma maneira em que as mulheres têm recusado autoridade sobre si, ao “usarem as calças compridas da família,” estão também usurpando esta autoridade e causando este grande desmoronamento. Agora vivemos numa segunda geração onde muitos homens adultos foram criados em lares onde a mãe usava as calças compridas da família — não só nas roupas — mas também na autoridade. Talvez você pense que isto não é de muita importância mas, de acordo com as normas bíblicas, deveria se declarar emergência nacional.

Falamos sobre as roupas que não são corretas mas por que não ver o que é certo? Se você é como eu sou, apesar do seu desejo de fazer o que é certo na área de vestir-se, tem perguntas que não têm respostas. Uma das perguntas que eu tive que enfrentar acerca deste tema em minha vida foi a seguinte: “Se Deus espera que nos vistamos como as mulheres se vestiam na Bíblia, por que é que não temos que nos vestir com vestidos que chegam até o chão? Por que é aceitável vestir-se com vestidos que só chegam até abaixo do joelho?"

I Timóteo 2:9 é a base bíblica para estas normas de vestir; diz que uma mulher deve vestir-se com roupa pudica (grego Katastole), uma roupa solta e comprida. Isto aprofunda uma distinção a notarmos —- COMPRIDA. Novamente alguém vai dizer: “Quão comprida é comprida e quão curta é curta?” O mundo não se preocupa de ser demasiado mundano, mas parece que “os crentes” estão se esforçando muito para não serem "crentes demais". Por que é que queremos nos vestir como o mundo se veste e nos convencer de que Deus aprova isto? O mundo chama uma mini-saia de mini e, de alguma maneira, pensamos que podemos modificá-la para que signifique maxi. A Bíblia define quando comprido é comprido? Há alguma referência sobre o tamanho do katastole?

Babilônia é chamada, no livro de Apocalipse, de “a mãe das prostituições.” Nos primeiros versículos de Isaías 47, há um comentário de como a Babilônia deixou sua virgindade e se tornou prostituta. Creio que se refere a uma nação ou um império, mas penso que tem importantes ensinos literais para mulheres.

“Desce, e assenta-te no pó, ó virgem filha de Babilônia; assenta-te no chão; já não há trono, ó filha dos caldeus, porque nunca mais serás chamada a tenra nem a delicada. Toma a mó, e mói a farinha. Remove o teu véu, descalça os pés, descobre as pernas e passa os rios. A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio; tomarei vingança, e não pouparei a homem algum. O nosso redentor, cujo nome é o Senhor dos Exércitos, é o Santo de Israel. Assenta-te calada, e entra nas trevas, ó filha dos caldeus, porque nunca mais serás chamada senhora de reinos.” Isaías 47:1-5.

Note primeiro que ela deixou sua posição real para sentar-se no meio do pó. Perdeu o encanto da inocência e pureza. Quando deixou isto para trás, se pôs a trabalhar um trabalho físico muito pesado. Cortou seu cabelo ["Remove o teu véu"]. E o mais importante para nós aqui é que descobriu suas pernas, mais especificamente [parte de] suas coxas. Aqui vemos que, no progresso de virgem ao ponto de converter-se em prostituta, ela descobriu [parte de] suas coxas. Um dos versículos diz: “passa os rios.” Eu penso que isto significa que cruzou os limites naturais dados por Deus. Em descobrir suas pernas e [parte das] coxas, a Bíblia diz: “A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio”; As Escrituras também seguem dizendo que nunca mais se poderá falar dela como uma virgem [ou mulher honrada, "senhora de reinos"]. Há algumas poderosas lições nesta passagem.

O principal que desejo destacar é que, para Deus, descobrir [parte de] as coxas é o mesmo que se desnudar. Se alguém recomendasse a uma mulher que fosse ao comércio nua, nós nos horrorizaríamos. No entanto, há muitas mulheres que são salvas e pensam que está bem se estão apenas 75% ou 80% nuas. Parece que não queremos nos vestir de uma maneira ofensiva ao mundo, mas não pensamos se isto está ofendendo a Deus ou não.

A nudez inclui o descobrir [parte de] as coxas, então somente um vestido folgado e comprido passa no exame de Deus como sendo roupa pudica, roupa que DEVE cobrir o corpo e as pernas da mulher até abaixo dos joelhos. E eu acrescentaria que deve cobrir [tudo de] as coxas sempre: quando você está parada, sentada, caminhando, inclinando-se e qualquer outra coisa que você faça. Você não encontrará um vestido ou uma saia que [escassamente] cubra os joelhos e que possa cobrir uma mulher pudicamente todo o tempo. Vestidos e saias devem ter um comprimento EXTRA, para você poder viver sua vida tranqüilamente.

A Bíblia fala do “enfeite da prostituta. ”E eis que uma mulher lhe saiu ao encontro com enfeites de prostituta, e astúcia de coração.” (Provérbios 7:10). Você já parou para pensar que tipo de roupa ela usava? Que era o que mostrava a imoralidade de uma mulher para que um homem soubesse que estava "disponível"?

Uma mulher não podia sair em público com roupa curta [ou justa] o suficiente que revelasse seu corpo. Mas uma prostituta revelava seu corpo tendo aberturas na saia para mostrar suas pernas enquanto caminhava. Revelar as pernas a homens era como “propaganda”. Não havia nenhuma dúvida nas mentes dos homens de que aquele era o "uniforme de uma prostituta". Durante nossa vida, temos visto a moda de saias com aberturas, mas esta moda não é nada nova. Estamos na era em que quase todos os estilos de roupa que são populares, há tempos atrás eram propagandas de prostitutas, por isso não é surpresa descobrir que só uma pequena percentagem de moças das escolas públicas mantêm sua pureza sexual até chegar ao altar matrimonial.

Se a roupa pudica significa katastole (uma roupa folgada e comprida que cobre completa e sobejamente as coxas), então não inclui os shorts. Nem as mini-saias. E, definitivamente, não inclui os maiôs de duas peças, os biquínis. Então você diz: “Mas eu uso um maiô pudico, de uma só peça.” O fato de seu umbigo estar coberto não faz seu traje de banho ser pudico. Não existe esta coisa de um traje de banho de uma só peça ser pudico, a não ser que cubra do colo até os joelhos, folgado e comprido. Não tenho escutado sobre este assunto, e você?

Se você não se deita em seu quintal sem roupa nenhuma, tão pouco deveria deitar-se lá com maiô. Deixe-me dar um exemplo da pregação de meu esposo: muitas vezes, ele pergunta: “Você se chatearia em explicar-me porque necessita bronzear essa parte do corpo que não planeja mostrar?” Se você estava planejando vestir-se pudicamente, então também pode se vestir pudicamente enquanto toma sol, pois toda a parte do corpo que pensa mostrar estará bronzeada. Não é verdade? Se as mulheres americanas estivessem mais preocupadas com o caráter de cada uma, seu caminhar com Deus, seu matrimônio ou seus filhos, do que com o bronzeamento de sua pele, este país não estaria em tão mau estado. Estou segura de que você espera que eu troque de tema, vamos em frente.

As mulheres devem vestir-se pudicamente. Leia sua Bíblia no [sol do] verão e veja se pensa do mesmo jeito no [frio do] inverno. A Bíblia não muda a cada temporada como seu guarda-roupa. Muito menos ela muda de local para local. Deus diz a mesma coisa para [o calor de] Miami como o diz para [o gelo de] Alaska. “Mas faz calor lá fora.” Estou segura de que também fazia calor nos tempos da Bíblia, quando Deus disse que as mulheres se vestissem pudicamente.

Eu escutei meu esposo dizer: “eu não sou contra o estar nadando com o sexo oposto: eu sou contra a nudez com o sexo oposto.” O problema não é a água ou o esporte, é a falta de roupa. Em nossos acampamentos de crentes, temos um horário para que as mulheres nadem privadamente, depois um horário para os homens. Mas o mundo não nos faz esse favor. Talvez haverá oportunidades quando sua família irá nadar ou brincar na água, mas todos deverão estar vestidos com roupas normais e com a condição de que elas não se façam transparentes quando molhadas. [Digo mais:] Ainda que você esteja vestida pudicamente, proponha-se que nunca deve expor seu marido, seus filhos ou você mesma a um ambiente onde outras pessoas estão mostrando sua nudez. (Se você leva seu marido à praia ou à piscina para que contemple mulheres de maiô e biquíni, você tem um oco na sua cabeça!).

Das mulheres que não se atrevem a aparecer à porta com roupa íntima, muitas não têm problema em sair ao pátio ou à praia em traje de banho que cobre do mesmo jeito, ou menos. Como é aceitável ao mundo, muito de nós só nos preocupamos em agradar ao mundo e então fazemos como eles fazem, e não nos importa o que Deus chama de nudez.

Se a Babilônia cruzou os limites dados por Deus quando ela descobriu [parte de] suas coxas e suas pernas para serem vistas publicamente, então Deus tem um limite ou uma fronteira de pudor para nós também. A Bíblia impõe o limite de os vestidos ultrapassarem sobejamente os joelhos, para só assim prosseguirmos na prova de Deus, para uma roupa pudica.

Talvez você se surpreenda ao aprender que não é somente Deus, a Bíblia e os pregadores antigos que pensam que uma mulher que descobre suas partes [coxas, colo, barriga, costas, etc.] é despudorada.. Mary Quant, a estilista que desenhou a mini-saia, disse isto: “Sou eu a única mulher que quer deitar-se com um homem [estranho] [ainda] durante a tarde? Qualquer mulher fiel à lei pensava que tinha que esperar até que escurecesse. Bem, há muitas mulheres que não querem esperar até à noite. Eu fiz as mini-saias para que um homem possa olhar para você e dizer: ‘Aqui está uma mulher que me dá tudo que quero. O vestido me diz isto. "

A mini-saia foi introduzida há 20 anos e se conheceu como a marca registrada da revolução sexual. O mundo está de acordo que mostrar [partes das] coxas é convidar à imoralidade.

A Bíblia diz que se um homem olha para uma mulher cobiçando-a, já cometeu adultério em seu coração. Mas quando uma mulher provoca tal atenção pela maneira como se veste (ou realmente como não se veste), então ela está pecando tanto quanto ele. Ela também cometeu adultério, em seu coração.

Aqui há uma porção do sermão do Dr. Jack Hyles, “Mini-saias à luz da Bíblia”: “Você sabe que o atrair um homem expondo em demasia seu corpo é um [vil e derrotado] “atalho” para você ser [realmente] atrativa? Você sabe o que é que [real, e pura e duradouramente] atrai um homem? O doce mistério [da feminilidade] de uma mulher. Quando você se descobre e trata de atrair um homem, estritamente por meio de seus sentidos físicos, você está usando um [vil e derrotado] “atalho” para atraí-lo, e isto ultrapassa a maneira [eficaz e bíblica] como se deve atrair.

A Bíblia diz: incorruptível traje de um espírito manso e quieto (I Pedro 3:4); este é o doce mistério sobre a personalidade da mulher. Eu penso que você deve ser bonita e deve ser atrativa [interna e exteriormente]. Esta é a maneira [bíblica] de merecer e ganhar a atenção. Mas o expor seu corpo para chamar a atenção é uma maneira de recebê-la sem trabalhar por ela [ e sem merecê-la e sem conservá-la]. Qualquer uma pode chamar a atenção se não usar roupa, mas Deus manda que você seja uma verdadeira dama para receber atenção em decorrência do doce mistério da sua feminilidade.” Esta não é somente a opinião de um grande pastor; mas de um homem que sabe como os homens são afetados pela nudez do corpo de uma mulher.

Que tal a parte superior do corpo: o peito, o busto, os ombros, [as costas, e  a barriguinha]? Qual é a posição da Bíblia quanto a estilos decotados, vestidos de verão, etc.? Não há dúvida alguma de que a parte central do corpo deve ser coberto. Em Gênesis 2 encontramos Adão e Eva, esposo e esposa, em um estado de inocência. Não conheciam o pecado, não tinham uma natureza pecaminosa, nem desejos maus.

Quando pecaram e perderam sua inocência, imediatamente perceberam a necessidade de usarem roupa. “Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.”  (Gênesis 3:7). Mesmo que em estado pecaminoso, se deram conta da necessidade de cobrir-se. Então, com sua lógica humana, decidiram fazer roupas com folhas de figueira. Quando Deus interviu, os cobriu com “longas-túnicas de peles” (Gênesis 3:21). Quero que você note a diferença entre aventais e longa-túnicas.

Você já se pôs a pensar quanto cobre um avental? Não muito! A palavra, em hebraico, significa uma cobertura para os lombos, talvez como a tanga das culturas pagãs. (Provavelmente, cobria mais do que a roupa que as pessoas [de hoje] usam na praia). Adão e Eva, no pior momento espiritual deles, sentiram a necessidade de cobrir-se. Mas o que eles creram que era suficiente, não o era para satisfazer um Deus Santo: o Deus Santíssimo fez para eles longa-túnicas de peles. Quanto cobre uma longa-túnica? Consideravelmente mais do que um avental, sem dúvida alguma! Provavelmente cobria o corpo tanto quanto um manto. Cobria todo o tronco e tudo das coxas.

Note que Adão e Eva estavam sós naquele lindo e enorme jardim-horto. Não havia ali outros homens que cobiçassem a Eva se ela fosse ao comércio. A única Pessoa que vinha visitá-los era Deus. Mas [depois da queda], para que pudessem ter comunhão pessoal com Deus, este quis que eles estivessem suficientemente vestidos (com roupas pudicas). Isto significa, então, que Deus considera a roupa pudica importante em nosso caminhar com Ele? Eu penso que sim.

Temos um Deus Santo que não pode ter comunhão com o pecado. Ele pagou o supremo preço e deu Seu Filho para morrer em nosso lugar para que nossos pecados fossem perdoados e pudéssemos ter comunhão com Ele. Toda a razão da santificação [separação do mundo e do pecado, para Deus] em cada área de nossa vida não é que possamos nos gloriar em quão bons somos, nem em quanto [mal] não fazemos. O propósito é limpar nossas vidas de tudo que é ofensivo ao Deus Santo, para assim podermos ter comunhão conSigo e gozarmos em caminhar e falar conSigo. Como, uma vez, Adão e Eva o fizeram no jardim do Éden.

“Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso” (II Coríntios 6:17,18). Deus nos manda “saí do meio deles”, porque é necessário que nos separemos do mundo para que possamos nos aproximar de Deus.

Mas não tem sentido você separar-se do pecado se você não tiver uma doce comunhão com Deus e caminhar com Ele. A separação do mundo sem comunhão com Deus assemelha-se: aos israelitas no castigo do deserto, onde não podiam ter a comida do Egito [tipo do mundo], mas também não tinham o leite e o mel de Canaã;  diariamente recebermos alimento, roupa e moradia, mas não o calor e o afeto de uma família que nos ame e receba nosso amor. Em outras palavras, isto é LOUCURA. A resposta não é abandonarmos as normas de santificação, mas sim cultivarmos nosso doce caminhar com Deus [além da nossa separação do mundo].

Esta é a razão pela qual algumas pessoas se revoltam contra as normas bíblicas e voltam ao mundo. Consideraram as normas bíblicas como uma carga desnecessária, em lugar de vê-las como um caminho para apartar-se mais do pecado e chegar-se mais a Deus. Temos que cuidar para que a vida cristã não seja tomada como [mero] “Não farás”; temos que nos dar conta de que o propósito de Deus ao querer que deixemos para trás o errado e as coisas de pouco valor, é para que Ele nos possa dar algo muito mais maravilhoso e satisfatório a nosso espírito. Não fique presa ao deserto; mas siga separando-se do mundo e se achegando a Deus.

Duas mulheres estiveram conversando sobre a grande diferença em seus estilos de vida, mesmo sendo as duas salvas. Uma era uma crente obediente a Deus e separada do mundo, que vivia e se vestia de acordo coma a Bíblia. A outra mulher claramente levava a marca do mundo e isto era evidente em sua roupa, seus divertimentos e todas as áreas de sua vida. Tinha tudo que pensava que queria mas estava muito triste e invejava a paz e o contentamento que via na vida da outra mulher. Depois de falar por um pouco, ela disse [à primeira]: “Sabe, eu daria o mundo inteiro para ter a paz, o contentamento e a felicidade que tu tens.” A surpreendente resposta foi esta: “Que coisa! Isto foi exatamente o que custou a mim.”

Que vestirei? Eu só devo vestir-me com roupa pudica e folgada; Só com o que cobre [todo] o dorso e [todas] as coxas; Só com o que é claro e distintivamente feminino [isto é, para uso exclusivo e característico das mulheres]; Só com aquilo que passa no exame de Deus como sendo “um vestido comprido e folgado.” Não permita que a moda, a influência do mundo, a conveniência, o dinheiro que gastou com seu guarda-roupa mundano, ou um espírito rebelde, façam desaparecer o desejo de obedecer a Deus sobre este assunto. A meta principal é que agrademos ao Senhor.

Quando começamos este estudo, eu a desafiei a orar e a prometer a Deus que obedeceria tudo que fosse lido na Bíblia (aquilo que não fosse um regulamento de homens, mas que certamente fosse o que Deus quer) na área de vestimenta das mulheres. Agora é a hora de relembrar esta promessa e fazer decisões específicas e mudanças [na sua vida]. Espero haver apresentado claramente o que o Espírito Santo e meu esposo pacientemente me ensinaram da Bíblia sobre este tema, nos anos passados, e haver respondido à pergunta que você se fez: “Que vestirei?

POR FAVOR DESCULPE MINHAS DESCULPAS [respostas a possíveis desculpas esfarrapadas]
P. Calças compridas não são mais pudicas do que vestidos, [ao menos] para algumas atividades?

R. Não, não são. A intenção de Deus não foi somente esconder a pele, mas sim esconder, também, os contornos femininos do corpo da mulher, que são intensamente mostrados nas calças compridas.


P. Não é demasiado inconveniente e incômodo usar vestidos todo o tempo?

R. Primeiramente, a conveniência e o conforto não devem ser fatores determinantes para o que fazemos. Devemos basear nossas decisões no discernimento do que é bom e do que é mau. Além disso, te sentirás mais cômoda com a roupa que usas mais. Quando decidires vestir-te só com vestidos e saias, então serão cômodos para ti, e com o tempo não poderás jamais imaginar-te à vontade com calças compridas.


P. Não é “legalismo” ter regras para sabermos como vestir-nos?

R. “Legalismo” significa agregar algo ao plano da salvação. Se eu te estivesse dizendo que tinhas que te vestir com um vestido para ser salva, então eu seria uma legalista. Mas não é isto o que estou dizendo. Jesus disse: “Se tu me amas, guarda os meus mandamentos.” Se eu realmente amo ao Senhor, vou querer agradá-Lo. Isto é simplesmente um estudo bíblico sobre o que significa agradar e obedecer ao Senhor como Ele diz na Sua Palavra. Se tu pensas que uma mulher deve vestir algum tipo de roupa para sair em público, então tens normas de vestir. A diferença é que tu adquiristes tuas normas do mundo, e nós as adotamos da Bíblia.

P. Se eu obrigo minha filha a vestir-se conforme a Bíblia, não estou fazendo com que ela se rebele?

R. Não, não é a regra contra comer doces que te dá cáries. São as más práticas, e não as normas bíblicas de vestir, que promovem a rebelião e o pecado. O que devemos fazer é ensinar nossas filhinhas porque temos normas de vestir, mostrá-las o que a Bíblia diz e animá-las a obedecer a Deus porque querem agradá-Lo, não só porque mamãe e papai dizem que é necessário. Ao invés de atender à rebelião e deixar de lado a obrigação de fazer o bem, por que não expulsar a influência de fazer o mal? Talvez você esteja tendo problemas com uma filha adolescente porque você a permitiu se vestir de maneira imprópria durante muitos anos e agora, de repente, você quer que ela efetue uma profunda mudança. Ainda assim, o correto é correto, e Deus abençoa nossa obediência. Mas eu enfrentaria a situação com muita oração, como nas mais cruciais decisões da vida, e rogaria a Deus que Ele fizesse a mudança no coração para igualar as mudanças exteriores necessárias.

P. Uma vez que algumas coisas mencionadas no capítulo 22 de Deuteronômio tratam de leis cerimoniais em vez de leis morais, não é contrário às Escrituras usar o verso 5 como um argumento contra as mulheres que usam roupa de homem?

R. Não! Uma coisa que normalmente se faz quando não se quer obedecer um mandamento da Bíblia, é alegar que é uma lei cerimonial ou se trata de outra dispensação. No caso de Deuteronômio 22:5, muitas pessoas têm dito que o mandamento é inválido porque o versículo 9 proíbe que sementes de diferentes espécies sejam semeadas juntas, e o versículo 11 proíbe vestir-se com roupas que  misturem diferentes tipos de fio. Estas eram leis cerimoniais que tinham um significado, um ensino espiritual. As leis cerimoniais acabaram quando Jesus morreu e proveu a forma verdadeira do que estas “figuras” representavam.

Apesar disto, as mesmas pessoas que dizem que o mandamento de distinção entre a roupa do homem e da mulher não é válido para hoje, nunca mencionam que os versículos de 1-4 tratam de preguiça e egoísmo, os versículos de 6-8 tratam de pecados sexuais como o adultério, a fornicação e o incesto. Será que estes temas são tratados como leis cerimoniais só porque aparecem no mesmo capítulo em que se manda não misturar diferentes tipos de fios em uma roupa de vestir? Será que isto significa que aqueles atos agora são aceitáveis? Os versos 6-8 poderiam ser tão facilmente considerados como parte do contexto de lei cerimonial quanto o versículo 5, que diz que uma mulher não deve vestir-se com o que apropriado ao homem; mas eu nunca escutei tal argumento ser usado para justificar o adultério, a violência ou o incesto. Os críticos contextuais por alguma razão nunca parecem notar estes versículos.

A segunda razão pela qual estou segura que não é uma lei cerimonial é porque é assinalada como uma abominação. Alguns dos atos mais malvados imagináveis são chamados de abominação. Homossexualidade, bestialidade, incesto, idolatria e atos de blasfêmia são assinalados nas Escrituras como “abominação”, incluindo os homens e mulheres que se vestem com roupa que pertence ao sexo oposto. (hugo)


www.recadosaarao.com.br

 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 6.864.885
Visitas Únicas Hoje: 2.470
Usuários Online: 360