"O Dia da Misericórdia" ( Perdão total dos pecados e das penas do purgatório, saiba como fazer passo a passo )
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 5.951.666
Visitas Únicas Hoje: 868
Usuários Online: 288
Sistema de Busca

 

Artigos James




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 26755 - Impresso: 761 - Enviado: 203 - Salvo em Word: 652
Postado em: 18/04/11 às 20:37:47 por: James
Categoria: Artigos James
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=104&id=7655
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos James

Por James - www.espacojames.com.br

Uma vez por ano é possível alcançar o perdão total dos pecados e das culpas do purgatório, isso mesmo! Quando pecamos ofendemos a Deus, e quando nos confessando somos perdoados dos nossos pecados, mas ainda permanece a culpa. Essa culpa é expiada no purgatório pelo tempo determinado por Deus.

"Não, nada impuro pode entrar no céu" Apocalipse 21:27

 

Para entendermos melhor a diferença entre CULPA e PENA, leia o texto abaixo: 

=======================================================

POR QUE O PURGATÓRIO EXISTE?

Para entendermos melhor sobre o que é o purgatório e o porquê dele, precisamos fazer uma breve explicação sobre o pecado e suas conseqüências na nossa alma.

O pecado pode ser resumido como uma ofensa a Deus e ao Seu amor, um ato que rompe com a ordem estabelecida por Ele.

É preciso compreender que o pecado gera uma dupla conseqüência para o homem: a pena eterna (culpa) e a pena temporal (pena). A pena temporal nada mais é que a desordem causada em decorrência à culpa. Por exemplo: quem rouba um relógio ou produz um dano pecuniário a alguém, pode pedir e receber o perdão do respectivo proprietário, mas este exigirá que a ordem anterior seja restaurada ou que o relógio volte ao seu dono. Do mesmo modo, quem difama caluniosamente o seu próximo, pode pedir e receber o perdão deste, mas fica obrigado a restaurar a honra da pessoa ofendida.

A pena eterna caracteriza-se pela privação da comunhão com Deus, que ocorre com a prática do pecado grave ou mortal (também o pecado venial acarretando um “apego prejudicial às criaturas”, produz a pena temporal que necessita ser expiada). A pena eterna (culpa) é remida através do Sacramento da Confissão ou Penitência.

A pena temporal caracteriza-se pela violação da ordem natural estabelecida pelo Criador (as conseqüências do pecado cometido, que devem ser reparadas). Diz S. Tomás de Aquino: “Sendo o pecado um ato desordenado, é evidente que todo o que peca, age contra alguma ordem. E é, portanto decorrência da própria ordem que seja humilhado. E essa humilhação é a pena” (S. Th. 1-2,q87, a.1; DI, ref.3 apud Aquino Felipe. In: O Purgatório: o que a Igreja ensina, p.44).

Resumindo, se me arrependo e confesso meus pecados diante do sacerdote, a culpa é apagada e sobram, portanto, as penas temporais. Estas deverão  ser expiadas através de penitências, mortificações, obras de caridade, indulgências, aceitação do sofrimento e da vontade de Deus.  Isso tudo pode ser feito em vida, porém, se não expiarmos todas as penas temporais, deveremos passar por uma purificação antes de ir à glória de Deus e contemplar a Sua face. A palavra de Deus é muito clara, em Apocalipse 21, 27, em que diz "que nada de impuro entrará no Reino dos Céus."

Para entendermos melhor essa analogia, existe um exemplo muito simples que nos faz entender melhor a respeito disso. Comparemos nossa alma à uma tábua de madeira, linda, sem nenhum risco, brilhante. Ela ficou assim após o sacramento do batismo, em que cancelou o pecado original. Imaginemos agora que ao passar dos anos cometo alguns pecados; estes seriam como fossem pregos martelados nessa tabua. Após a confissão sacramental, com verdadeiro arrependimento, meus pecados são perdoados (não existe mais culpa). Retira-se, portanto, os pregos da madeira. Como veríamos, então, essa tábua? Certamente cheia de furos, imperfeito, já não mais bela como Deus a tinha deixado antes. Esses furos (“cicatrizes”) são as penas temporais, e não poderemos ir imediatamente ao Céu se não repararmos esses buracos na nossa alma.

O Purgatório é isto! É uma queimadura de amor. É um atraso imposto pelas nossas impurezas, um atraso antes do abraço de Deus, uma queimadura de que faz sofrer terrivelmente, uma nostalgia de amor.  É precisamente esta nostalgia que nos lava do que é ainda impuro em nós. O Purgatório é um lugar de desejo, do desejo louco de Deus, do Deus que já conhecemos, porque já O vimos, mas ao qual não estamos ainda unidos.

=====================================

 

Continuando:

Para obtermos  o perdão total dos nossos pecados 
basta iniciar a novena da Misericórdia na sexta-feira santa e durante a novena, devemos fazer uma confissã e no dia da misericórdia (Domingo - quando termina os nove dias da novena), assistir uma missa e comungar na intenção de obter a graça.

 
 
Leia os tópicos abaixo para entender melhor:
 
1) INTRODUÇÃO
2) A FESTA DA DIVINA MISERICÓRDIA
3) A HORA DA MISERICÓRDIA 
4) TERÇO DA MISERICÓRDIA:
5) NOVENA DA DIVINA MISERICÓRDIA 
6) COMO FAZER?
 
 
LEIA TODAS AS MENSAGENS DE JESUS A SANTA FAUSTINA
http://www.espacojames.com.br/?cat=225

 
--
 

Ofereço aos homens um vaso, com o qual devem vir buscar graças na fonte da misericórdia. Esse vaso é a imagem com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós” (Diário, 327).

Por meio dessa imagem concederei muitas graças às almas; que toda alma tenha, por isso, acesso a ela” (Diário, 570).

 BAIXE  ESTA IMAGEM EM TAMANHO GIGANTE PARA IMPRIMIR E DEIXÁ-LA EXPOSTA EM SUA CASA NO LINK ABAIXO 

http://espacojames.com.br/?cat=103

 

 

Baixe este áudio no artigo:  Artigo N.º 8773 - Terço da Misericórdia em Audio

 

1) INTRODUÇÃO

O Diário de Irmã Faustina contém pelo menos quinze ocasiões nas quais se refere ao pedido do Senhor para que fosse estabelecida em toda a Igreja, oficialmente, a "Festa da Misericórdia". Ele disse:

 

 

 

 

Palavras de Jesus

"Desejo que a Festa de Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Nesse dia estão abertas as entranhas da minha Misericórdia. Derramo todo o mar de graças nas almas que se aproximarem da fonte da minha Misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e castigos. Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças." (indulgência plenária)

 

"Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças."



"Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como escarlate... A Festa da Misericórdia saiu das minhas entranhas... Desejo que seja celebrada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa. A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da minha Misericórdia." (Diário nº.699)

Segundo a wikipédia: Escarlate (do Persa: säqirlāt) é um tom de vermelho com uma matiz a pender para a cor laranja. É uma cor pura do círculo cromático. É mais vermelho que a cor vermelhão.


  

 


Tradicionalmente, escarlate é a cor da chama. Também pode refletir a cor do sangue. Escarlate é composto por vermelho e laranja.

 

Como Jesus mesmo disse, não importa o tipo de pecado, podem ser negros como o carvão ou vermelhos como o escarlate, neste dia seu coração estará aberto para derramar um oceano de graças. Não percam a chance de se reconciliar com Deus, o dia da misericórdia é o dia mais importante do ano, o dia em que Deus perdoará todas as culpas (pecados) e as castigos (purgatório). 

Porque quando pecamos ofendemos a Deus, e geramos duas situações: A culpa (pecado) e a ofença (que será reparada no purgatório).

Quando recebemos o sacramento da confissão, nos libertamos da culpa (do pecado), mas ainda precisaremos expiar a ofença que cometemos contra Deus e isso se faz no purgatório.

Um exemplo prático ocorre quando um ladrão rouba uma casa, ele tem a culpa e a ofença, mesmo ele devolvendo todo o produto do roubo, ele ainda será julgado e preso, pois ficou a ofença por inflingir as leis dos homens.

Seria o mesmo exemplo, quando pecamos temos a culpa, e mesmo nos confessando ainda temos a ofença e precisaremos ser julgados e  o purgatório se encarrega de nos purificar. Mas neste dia temos em mãos as entranhas do coração de Jesus que nos salva e liberta.

 

  "A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e castigos. (indulgência plenária). Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças."



Jesus também pediu que a Festa da Divina Misericórdia fosse precedida por uma Novena à Divina Misericórdia, a ser iniciada na Sexta-Feira Santa. Ele deu a Irmã Faustina uma intenção pela qual rezar a cada dia da Novena. Em seu diário, Irmã Faustina relata que Jesus lhe disse:

"Em cada dia da novena, conduzirás ao Meu coração um grupo diferente de almas, e as mergulharás no oceano da minha Misericórdia. Eu conduzirei todas as almas à casa do meu Pai... Por minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da minha Misericórdia. Cada dia pedirás a meu Pai, pela minha amarga Paixão, graças para essas almas." (Diário nº.1209)

Lembramos que durante  a novena Jesus pede para rezar o terço da Misericórdia diariamente, sempre antes da novena.

"O Senhor me disse para rezar o Terço [da misericórdia] por nove dias antes da Festa da Misericórdia (...)"

--

 

2) A FESTA DA DIVINA MISERICÓRDIA

A Festa da Divina Misericórdia que ocorre no primeiro domingo depois da Páscoa, estabelecida oficialmente como festa universal pelo Papa João Paulo II.

"Por todo o mundo, o segundo Domingo da Páscoa irá receber o nome de Domingo da Divina Misericórdia, um convite perene para os cristãos do mundo enfrentarem, com confiança na divina benevolência, as dificuldades e desafios que a humanidade irá experimentar nos anos que virão" (Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, Decreto de 23 de Maio de 2000).

 



Encontra suas origens em Santa Maria Faustina Kowalska, que na década de 30 obteve de Jesus, revelações acêrca da instituição dessa festa no seio da Igreja, bem como profecias e manifestações que o próprio Cristo mandou que as escrevesse e retransmitisse à humanidade. Foi Jesus quem pediu a instituição da festa da Divina Misericórdia a Santa Faustina. Jesus se refere a ela 14 vezes, expressando o imenso desejo do Seu Coração Misericordioso de distribuir, neste dia, as Suas graças.

"Nenhuma alma terá justificação, enquanto não se dirigir, com confiança, à Minha misericórdia. E é por isso que o primeiro domingo depois da Páscoa deve ser a Festa da Misericórdia” (Diário, 570).

"Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia; a alma que se confessar e comungar alcançará o perdão total das culpas e castigos; nesse dia estão abertas todas as comportas Divinas, pelas quais fluem as graças;"

"Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de mim, ainda que seus pecados sejam como escarlate. A minha misericórdia é tão grande que por toda a eternidade não a aprofundará nenhuma mente, nem humana, nem angélica. Tudo que existe saiu das entranhas da minha misericórdia" (Diário, 699).

"Dize à humanidade que sofre que se aproxime do meu coração misericordioso, e eu a cumularei de paz " (Diário 1074)

 



Irmã Faustina era polonesa, natural da vila de Glogowiec, perto de Lodz, a terceira de uma prole de dez filhos. Aos vinte anos entrou para a Congregação de Nossa Senhora da Misericórdia, cujas irmãs se dedicavam à assistência de moças desvalidas ou em perigo de seguir o mau caminho. Em 1934, por indicação de seu diretor espiritual, iniciou um diário que intitulou "A divina misericórdia em minhalma". A narração pormenorizada de profundas revelações e de experiências espirituais extraordinárias revela o modo pelo qual Nosso Senhor deseja incumbi-la de uma missão particularíssima - ou seja - a de relançar no mundo a mensagem da sua misericórdia unida a novas formas de culto quais sejam uma imagem e uma festa comemorativa.

 



A missão da irmã Faustina iniciou-se em 1931, quando o misericordioso Salvador lhe aparecer em característica visão: Ela vira de fato Jesus envolto em uma túnica branca. Tinha a mão direita alçada no ato de abençoar, enquanto a esquerda pousava no peito, onde a túnica levemente aberta deixava sair dois grandes raios, um vermelho e outro pálido. A irmã fixou em silêncio o olhar surpreso no Senhor: a sua alma, de início espantada, sentia progressivamente exultante felicidade. Disse-lhe Jesus:

"Pinta uma imagem de acordo com o modelo que vês com a inscrição embaixo: Jesus, eu confio em Vós! Desejo que esta imagem seja venerada primeiro na vossa capela e depois no mundo inteiro. Prometo que a alma que venerar esta imagem não perecerá. Prometo também a vitória sobre os inimigos já nesta terra mas especialmente na hora da morte. Eu mesmo a defenderei com a minha própria glória."

 

 


"Ofereço aos homens um recipiente com o qual deverá vir buscar graças na fonte da misericórdia. O recipiente é esta própria imagem com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós!"

A pedido de seu diretor espiritual, irmã Faustina perguntou ao Senhor qual era o significado dos dois raios que tanto se destacavam na imagem:

"Os dois raios representam o sangue e a água. O raio pálido representa a água que justifica as almas, o vermelho representa o sangue, vida das almas. Ambos os raios saíram das entranhas da minha misericórdia quando na cruz, o meu coração agonizante na morte foi aberto com a lança. Estes raios defendem as almas da ira do meu Pai. Feliz aquele que viver sob a proteção deles, porque não será atingido pelo braço da justiça de Deus."

Em outras ocasiões, Jesus voltou a falar sobre a imagem:

"O meu olhar naquela imagem é igual ao meu olhar na Cruz"

 



"O meu olhar naquela imagem é igual ao meu olhar na Cruz"

 

"Tua tarefa é escrever tudo que te dou a conhecer sobre a minha Misericórdia para o proveito das almas, as quais lendo estes escritos, experimentarão consolo na alma e terão coragem de se aproximar de mim. E, por isso, desejo que dediques todos os momentos livres a escrever" (n° 1693).


"Mediante esta imagem concederei muitas graças às almas; ela deve recorrer às exigências da minha misericórdia, pois que a fé, mesmo se fortíssima, nada adiantará sem as obras".

"Não na beleza da cor, nem na habilidade do artista, mas na minha graça está o valor desta imagem"

--

 


3) A HORA DA MISERICÓRDIA

"Às três da tarde, implora à minha misericórdia, especialmente pelos pecadores e, ao menos por um breve tempo, reflete sobre a minha Paixão, sobretudo sobre o abandono em que me encontrei no momento da minha agonia. Esta é uma hora de grande misericórdia para o mundo inteiro. Nesta hora não negarei nada a alguma que me pedir em nome da minha Paixão." (n. 59)

 

 

"Todas as vezes que ouvires soar três horas da tarde, mergulhe toda na minha misericórdia, adorando-a e glorificando-a. Invoca a sua onipotência para o mundo inteiro, especialmente para os pobres pecadores porque é nessa hora que estará largamente aberta para cada alma. Naquela hora obterás tudo para ti e para os outros. Naquela hora o mundo inteiro recebeu uma grande graça: A misericórdia venceu a justiça."

 



"Procura nessa hora realizar a Via Sacra, se os teus deveres não te impedirem. Se não for possível vai um momento à capela e venera o meu Coração cheio de misericórdia no Santíssimo Sacramento. Se não puderes ir à capela, recolhe-te um momento em oração no lugar onde te encontrares."

Eis uma invocação que se pode dizer às três horas da tarde e que Irmã Faustina repetia freqüentemente durante o dia, para renovar a sua consagração à Divina Misericórdia:

"Ó Sangue e Água que jorras do Coração de Jesus como fonte de misericórdia para nós, confio em Vós".

--

 

4) TERÇO DA MISERICÓRDIA:

Para ser rezado nas contas do terço.

No começo:

Pai Nosso..., Ave Maria..., e o Creio...

A seguir, nas contas grandes (do Pai-Nosso), rezamos:

Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade do Vosso Diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.


Nas contas pequenas (da Ave-Maria), rezamos:

Pela Sua dolorosa Paixão; tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.


E no final do terço rezamos três vezes:

Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteito.

 

 

 

--

 



5) NOVENA DA DIVINA MISERICÓRDIA

Jesus solicitou à Irmã Faustina preparar-se para a festa da misericórdia iniciando uma novena na Sexta-feira Santa para concluí-la na Vigília do domingo posterior à Páscoa, oferecendo-a nas prescritas intenções: "Para a conversão do mundo, de modo que toda alma conheça a misericórdia so Senhor e glorifique a sua infinita bondade". Mas a cada dia da novena Jesus mesmo pede uma intenção particular, sempre acrescida de uma invocação dirigira à misericórdia do Coração de Jesus. E fez à Santa Faustina esta promessa:

 



"Desejo que durante estes nove dias tu conduzas as almas à fonte da minha misericórdia, a fim de que recebam força, alívio e todas as graças a elas necessárias nas fadigas da vida, mas especialmente na hora da morte. Em cada dia conduzirás ao meu coração um diferente grupo de almas e as imergirás no oceano da minha misericórdia. Eu introduzirei todas as almas na casa do meu Pai. Realizarás esta tarefa nesta vida e na futura. Por minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da minha misericórdia. Todos os dias pedirás, ao meu pai, pela minha amarga Paixão, graças para estas almas."

Nesta Novena, nós rezamos pelas intenções que Nosso Senhor Jesus Cristo indicou, rezando cada dia por um grupo de almas que Ele quer trazer ao Seu Coração. Esta Novena prepara nossa alma para a Festa da Divina Misericórdia. A seguir estão as intenções que Nosso Senhor ditou para cada dia da Novena:

Saiba Mais: Padre Sopocko escreveu em seu livro “Memórias”: Em agosto de 1937 fiz uma visita a Irmã Faustina, em Lagiewniki (Cracóvia), e encontrei em seu Diário a Novena da Misericórdia Divina, da qual gostei muito. Quando lhe perguntei onde a havia conseguido, ela me respondeu que essa oração lhe havia sido ditada pelo próprio Jesus Cristo. Disse ainda que antes disso Jesus Cristo lhe havia ensinado o Terço da Misericórdia e outras orações, que decidi publicar.

 

 

Assim escreveu Irmã Faustina em 10.08.1937: “Novena à Misericórdia Divina que Jesus mandou escrever e rezar antes da Festa da Misericórdia. Começa na Sexta-feira Santa”, para concluí-la na Vigília do domingo posterior à Páscoa – Domingo “In Albis” ou Domingo da “Pascoela”, oferecendo-a "Para a conversão do mundo, de modo que toda alma conheça a misericórdia do Senhor e glorifique a Sua infinita bondade", e que Jesus comprometeu-Se retribuir com especiais promessas:

"Desejo que durante estes nove dias tu conduzas as almas à fonte da Minha misericórdia, a fim de que recebam força, alívio e todas as graças a elas necessárias nas fadigas da vida, mas especialmente na hora da morte. Cada dia conduzirás ao meu coração um diferente grupo de almas e as imergirás no oceano da Minha misericórdia. Realizarás esta tarefa nesta vida e na futura. (...) Por Minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da Minha misericórdia. Cada dia pedirás a Meu Pai, pela Minha amarga Paixão, graças para estas almas.” – (Diário 1209)

Com esta Novena Jesus quer que nos preparemos, e por nós toda a humanidade, para receber as graças especiais que Ele quer derramar-nos na Festa da Misericórdia Divina: -"Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Nesse dia estão abertas as entranhas da Minha Misericórdia...”

Razão pela qual nesta Novena reza-se exclusivamente pelas intenções que Nosso Senhor indicou; cada dia por um grupo de almas que Ele quer trazer ao Seu Sacratíssimo e Misericordiosíssimo Coração, indicando na própria Oração o motivo, conforme ditou à Santa Faustina:

PRIMEIRO DIA = para a humanidade inteira, especialmente todos os pecadores;
SEGUNDO DIA = para as almas dos sacerdotes e religiosos;
TERCEIRO DIA = para todas as almas piedosas e fiéis;
QUARTO DIA = para as pagãos e aqueles que ainda não Me conhecem;
QUINTO DIA = para as almas dos Cristãos separados da Unidade da Igreja;
SEXTO DIA = para as almas mansas e humildes, e as almas das criancinhas;
SÉTIMO DIA = para as almas que veneram e glorificam de maneira especial a Misericórdia de Deus;
OITAVO DIA = para as almas que se encontram na prisão do Purgatório;
NONO DIA = para as almas tíbias.

 
Além da época própria, ela pode ser rezada em qualquer época do ano, pois a Misericórdia de Deus é permanente, contudo, neste caso, deve-se observar a hora propícia: 15h00.

Existem outras formas de Novena, para outras intenções, também ensinadas e solicitadas por Jesus a Irmã Faustina; algumas que também devem observar o horário de 15h00 (três horas da tarde) como o mais apropriado, e outras que podem ser rezadas a qualquer horário, o Devocionário indica, embora a Hora Nona é sempre a mais indicada pois “(...) Nessa hora, conseguirás tudo para ti e para os outros.

Nessa hora, realizou-se a graça para todo o Mundo: a misericórdia venceu a justiça.” Em 1933, Jesus pediu para Irmã Faustina: “Faz uma novena pela Pátria. Esta novena constará da recitação da Ladainha de Todos os Santos.” – (Diário 59) Em 11.05.1934 disse Jesus à Irmã Faustina: “Faz uma novena (...) a qual deve consistir em 33 atos, isto é, na repetição de tantas vezes da oração à misericórdia que te ensinei.”- (Diário 341):

“Ó Sangue e Água que jorrastes do Coração de Jesus como fonte de misericórdia para nós, eu confio em Vós” – (Diário 186, 187) “Quando pela manhã, de 14.09.1935, entrei na nossa Capela ouvi interiormente: “Toda vez que entrares na Capela, reza logo essa oração que te ensinei ontem.” (Terço da Misericórdia) Quando rezei ouvi: “Essa oração serve para aplacar a Minha ira. Tu a recitarás por nove dias, por meio do Terço do Rosário, da seguinte maneira: (Terço da Misericórdia), nos relata Irmã Faustina. – (Diário 476)

“O Senhor me disse para rezar o Terço da Misericórdia por nove dias antes da Festa da Misericórdia. Devo começar na Sexta-Feira Santa. “Através desta novena concederei às almas toda espécie de graças” – (Diário 796, 1059) "Hoje, 28.12.1936, comecei uma novena à Misericórdia Divina. Isto é, transporto-me, em espírito, para diante da Imagem e recito o Terço que o Senhor me ensinou. No segundo dia da novena, vi essa Imagem, como se estivesse viva, com inúmeros votos pendurados em volta, e vi grandes multidões de pessoas que vinham por aí, muitas delas radiante de felicidade”. – (Diário 851)

Como em toda Devoção da Misericórdia Divina, também a reza das Novenas da Misericórdia, é indispensável que seja diante de uma Imagem da Misericórdia Divina ou Jesus Misericordioso: “Desejo que esta Imagem seja venerada, (...) no mundo inteiro.” “Ofereço aos homens um vaso, com o qual devem vir buscar graças na fonte da misericórdia. Esse vaso é a Imagem com a inscrição: “Jesus, eu confio em Vós”.

– (Diário 47, 327) “Por meio dessa Imagem concederei muitas graças às almas; que
toda alma tenha, por isso, acesso a ela.” – (Diário 570)

 

 

A novena completa está logo abaixo:

 

--

 

6) COMO FAZER?

Para obter as graças é muito simples, basta seguir três passos: 

1) Inicia-se com a Novena da Misericórdia na Sexta Feira Santa  (não esqueça de rezar o terço da misericórdia antes de cada dia da novena.)

2) Enquanto se faz a novena, é necessário fazer uma confissão ( para isso temos nove dias, pois o objetivo é comungar sem pecado no domingo da festa )

3) Já confessado, assista a missa no domingo (Dia da festa) e comungue na intenção de receber as graças.

 

Traduzindo:

 


 

Segue o Roteiro passo a passo:

O ideal é ter uma estampa de Jesus misericordioso e sempre rezar olhando para ela, caso não tenha, clique aqui e imprima o banner gigante de Jesus Misericordioso.
  

 

Imagem de Jesus Misericordioso, reze o terço da misericórdia sempre olhando para ela, é obrigatório tê-la em casa. Caso não tenha, clique aqui e imprima o banner gigante de Jesus Misericordioso

 

 

----------- início da novena ---------------

PRIMEIRO DIA – (Sexta-Feira Santa)
Reze primeiro o Terço da misericórdia (Pegue no texto acima)


Hoje traze-Me a humanidade inteira, especialmente todos os pecadores e mergulha-os no oceano da minha Misericórdia. Com isso Me consolarás na amarga tristeza em que Me afunda a perda das almas.

Misericordiosíssimo Jesus, de quem é próprio ter compaixão de nós e nos perdoar, não olheis os nossos pecados, mas a confiança que depositamos em Vossa infinita bondade. Acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e nunca nos deixeis sair dele.Nós vo-lo pedimos pelo amor que Vos une ao Pai e ao Espírito Santo.

Eterno Pai, olhai com misericórdia para toda humanidade, encerrada no Coração compassivo de Jesus, mas especialmente para os pobres pecadores. Pela Sua dolorosa Paixão, mostrai-nos a Vossa Misericórdia, para que glorifiquemos a onipotência da Vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.

--



SEGUNDO DIA – (Sábado)
Reze primeiro o Terço da misericórdia:


Hoje traze-Me as almas dos sacerdotes e religiosos e mergulha-as na minha insondável Misericórdia.

Elas Me deram força para suportar a amarga Paixão. Por elas, como por canais, corre para a humanidade a minha Misericórdia.

Misericordiosíssimo Jesus, de quem provém tudo que é bom, aumentai em nós a graça, para que pratiquemos dignas obras de misericórdia, a fim de que aqueles que olham para nós, glorifiquem o Pai da Misericórdia que está no Céu.

Eterno Pai, dirigi o olhar da vossa Misericórdia para a porção eleita da vossa vinha: Para as almas dos sacerdotes e religiosos. Concedei-lhes o poder da vossa bênção e, pelos sentimentos do Coração de vosso Filho, no qual estão encerradas, dai-lhes a força da vossa luz, para que possam guiar os outros nos caminhos da salvação e juntamente com eles cantar a glória da vossa insondável Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.

--

TERCEIRO DIA – (Domingo)
Reze primeiro o Terço da misericórdia:


Hoje traze-Me todas as almas piedosas e fiéis e mergulha-as no oceano da minha Misericórdia.

Estas almas consolaram-Me na Via-sacra; foram aquela gota de consolações em meio ao mar de amarguras.

Misericordiosíssimo Jesus, que concedeis prodigamente a todas as graças do tesouro da vossa Misericórdia, acolhei-nos na mansão do vosso compassivo Coração e não nos deixeis sair dele pelos séculos; Suplicamo-Vos pelo amor inconcebível de que está inflamado o vosso Coração para com o Pai Celestial.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas fiéis, como a herança do vosso Filho. Pela sua dolorosa Paixão concedei-lhes a vossa bênção e cercai-as da vossa incessante proteção, para que não percam o amor e o tesouro da santa fé, mas com toda a multidão dos Anjos e dos Santos glorifiquem a vossa imensa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.


--

QUARTO DIA – (Segunda)
Reze primeiro o Terço da misericórdia:

Hoje traze-Me os pagãos e aqueles que ainda não Me conhecem e nos quais pensei na minha amarga Paixão. O seu futuro zelo consolou o meu Coração. Mergulha-os no mar da minha Misericórdia.

Misericordiosíssimo Jesus, que sois a luz de todo o mundo, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas dos pagãos que ainda não Vos conhecem.Que os raios da vossa graça os iluminem para que também eles, juntamente conosco, glorifiquem as maravilhas da vossa Misericórdia e não os deixeis sair da mansão do vosso compassivo Coração.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas dos pagãos e daqueles que ainda não Vos conhecem e que estão encerrados no Coração compassivo de Jesus.Atraí-as à luz do Evangelho. Essas almas não sabem que grande felicidade é amar-Vos.Fazei com que também elas glorifiquem a riqueza da vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.

--

QUINTO DIA – (Terça)
Reze primeiro o Terço da misericórdia:

Hoje traze-Me as almas dos Cristãos separados da Unidade da Igreja e mergulha-as no mar da minha Misericórdia. Na minha amarga Paixão dilaceravam o meu Corpo e o meu Coração, isto é, a minha Igreja. Quando voltam à unidade da Igreja, cicatrizam-se as minhas Chagas e dessa maneira eles aliviam a minha Paixão.

Misericordiosíssimo Jesus que sois a própria Bondade, Vós não negais a luz àqueles que Vos pedem, aceitai na mansão do vosso compassivo Coração as almas dos nossos irmãos separados, e atraí-os pela vossa luz à unidade da Igreja e não os deixeis sair da mansão do vosso compassivo Coração, mas fazei com que também eles glorifiquem a riqueza da vossa Misericórdia.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas dos nossos irmãos separados que esbanjaram os vossos bens e abusaram das vossas graças, permanecendo teimosamente nos seus erros. Não olheis para os seus erros, mas para o amor do vosso Filho e para a sua amarga Paixão, que suportou por eles, pois também eles estão encerrados no Coração compassivo de Jesus. Fazei com que também eles glorifiquem a vossa Misericórdia por toda a eternidade. Amém.

--

SEXTO DIA – (Quarta)
Reze primeiro o Terço da misericórdia:

Hoje traze-Me as almas mansas e humildes, assim como as almas das criancinhas e mergulha-as na minha Misericórdia. Estas almas são as mais semelhantes ao meu Coração. Elas me reconfortaram na minha amarga Paixão da minha agonia. Vi que no futuro iriam velar junto aos meus altares como anjos terrestres. Sobre elas derramo torrentes de graças. Só a alma humilde é capaz de aceitar a minha graça; às almas humildes favoreço com a minha confiança.

Misericordiosíssimo Jesus, que dissestes: "Aprendei de Mim que sou manso e humilde de coração", aceitai na morada do vosso compassivo Coração as almas mansas e humildes e as almas das criancinhas.

Essas almas encantam o Céu todo e são a especial predileção do Pai Celestial, são como um ramalhete diante do trono de Deus, com cujo perfume o próprio Deus se deleita. Estas almas têm morada permanente no Coração compassivo de Jesus e cantam sem cessar um hino de amor e misericórdia pelos séculos.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas mansas e humildes e para as almas das criancinhas, que estão encerradas na morada compassiva do Coração de Jesus. Essas almas são as mais semelhantes a vosso Filho; o perfume destas almas eleva-se da Terra e alcança o vosso trono. Pai de Misericórdia e de toda bondade, suplico-Vos pelo amor e predileção que tendes para com estas almas, abençoai o mundo todo, para que todas as almas cantem juntamente a glória à vossa Misericórdia, por toda a eternidade. Amém.

--

SÉTIMO DIA – (Quinta)
Reze primeiro o Terço da misericórdia:


Hoje traze-Me as almas que veneram e glorificam de maneira especial a minha Misericórdia e mergulha-as na minha Misericórdia. Estas almas foram as que mais sofreram por causa da minha Paixão e penetraram mais profundamente no meu espírito. Elas são a imagem viva do meu Coração compassivo. Estas almas brilharão com especial fulgor na vida futura. Nenhuma delas irá ao fogo do Inferno; defenderei cada uma delas de maneira especial na hora da morte.

Misericordiosíssimo Jesus, cujo Coração é o próprio amor, aceitai na morada do vosso compassivo Coração as almas que honram a glorificam de maneira especial a grandeza da vossa Misericórdia. Essas almas potentes pela força poderosa do próprio Deus, avançam entre penas e adversidades, confiando na vossa Misericórdia. Essas almas estão unidas com Jesus e carregam sobre os seus ombros a humanidade inteira.
Elas não serão julgadas severamente, mas a vossa Misericórdia as envolverá no momento da morte.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas que glorificam e honram o vosso maior atributo, isto é, a vossa inescrutável Misericórdia; Elas estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Estas almas são o Evangelho vivo e as suas mãos estão cheias de alegria, cantam um cântico de misericórdia ao Altíssimo. Suplico-Vos, ó Deus, mostrai-lhes a vossa Misericórdia segundo a esperança e confiança que em Vós colocaram. Que se cumpra nelas a promessa de Jesus, que disse: "As almas que veneram a minha insondável Misericórdia, Eu mesmo as defenderei na vida, especialmente na hora da morte, como minha glória." Amém.

 

--

OITAVO DIA – (Sexta)
Reze primeiro o Terço da misericórdia:

Hoje traze-Me as almas que se encontram na prisão do Purgatório e mergulha-as no abismo da minha Misericórdia; que as torrentes do meu Sangue refresquem o seu ardor. Todas estas almas são muito amadas por Mim, pagam as dívidas à minha Justiça. Está em teu alcance trazer-lhes alívio. Tira do tesouro da minha Igreja todas as indulgências e oferece-as por elas. Oh, se conhecesses o seu tormento, incessantemente oferecerias por elas a esmolas do espírito e pagarias as suas dívidas à minha Justiça.

Misericordiosíssimo Jesus, que dissestes que quereis misericórdia, eis que estou trazendo à mansão do vosso compassivo Coração as almas do Purgatório, almas que Vos são muito queridas e que no entanto devem dar reparação à vossa Justiça; Que as torrentes de Sangue e Água que brotaram do vosso Coração apaguem as chamas do fogo do Purgatório, para que também ali seja glorificado o poder da vossa Misericórdia.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas que sofrem no Purgatório e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Suplico-Vos que, pela dolorosa Paixão de Jesus, vosso Filho, e por toda a amargura de que estava inundada a sua santíssima Alma, mostrai a vossa Misericórdia às almas que se encontram sob o olhar da vossa Justiça; Não olheis para elas de outra forma senão através das Chagas de Jesus, vosso diletíssimo Filho, porque nós cremos que a vossa bondade e Misericórdia são incomensuráveis. Amém.

--

NONO DIA – (Sábado)
Reze primeiro o Terço da misericórdia:

Hoje traze-Me as almas tíbias e mergulha-as no abismo da minha Misericórdia. Estas almas ferem mais dolorosamente o meu Coração. Foi da alma tíbia que a minha Alma sentiu repugnância no Horto. Elas levaram-Me a dizer: Pai afasta de Mim este cálice, se assim for a vossa vontade. Para elas, a última tábua de salvação é recorrer a minha Misericórdia.

Ó compassivo Jesus, que sois a própria Compaixão, trago à morada do vosso compassivo Coração as almas tíbias; Que se aqueçam no fogo do vosso amor puro estas almas frias que são semelhantes a cadáveres e Vos enchem de tanta repugnância. Ó Jesus, muito compassivo, usai a força da vossa Misericórdia e atraí-as até o fogo do vosso amor e concedei-lhes o amor Santo, porque Vós tudo podeis.

Eterno Pai, olhai com Misericórdia para as almas tíbias e que estão encerradas no Coração compassivo de Jesus. Pai de Misericórdia, suplico-Vos pela amargura da Paixão do vosso Filho e por sua agonia de três horas na Cruz, permiti que também elas glorifiquem o abismo da vossa Misericórdia. Amém.

--

ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO:


Ó Jesus, deus oculto e misterioso, eu vos agradeço pelos inumeráveis dons e pelos benefícios que me fizestes. Cada bater do meu coração renove o hino de agradecimento que eu dirijo a vós, Senhor. A minhalma seja um hino de adoração á vossa misericórdia. Ó meu Deus, eu vos amo por vós. Amém

 

 ----------- fim da novena ---------------

 

 

 


Jesus não volta atrás com sua palavra, ele mesmo disse:

"A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e castigos"

Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como escarlate

 

Sigamos os três passos, Novena, Cofissão, Missa e comunhão.

Isso pode nos ajudar quando fomos ao encontro do Rei, e ele virá!

Fiquem com Deus

james - www.espacojames.com.br

 
 








Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 18/04/11 às 20:37:47 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES