UNIÕES ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO NÃO PODEM SER EQUIPARADAS À FAMÍLIA
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.139.844
Visitas Únicas Hoje: 1.129
Usuários Online: 348
Sistema de Busca

 

Destaque




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1623 - Impresso: 45 - Enviado: 9 - Salvo em Word: 37
Postado em: 12/05/11 às 20:27:58 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=7828
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

CNBB reafirma sua posição, em nota, após a decisão do Supremo Tribunal

APARECIDA, quarta-feira, 11 de maio de 2011 (ZENIT.org) - Os bispos do Brasil, reunidos em assembleia geral em Aparecida, divulgaram hoje uma nota em que reafirmam que as uniões entre pessoas do mesmo sexo não podem ser equiparadas à família.

A nota da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) vem após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que, na quinta-feira passada, aprovou a união estável entre pessoas do mesmo sexo, dando aos pares homossexuais os mesmos direitos e deveres que a legislação estabelece para os casais heterossexuais.

“A diferença sexual é originária e não mero produto de uma opção cultural. O matrimônio natural entre o homem e a mulher bem como a família monogâmica constituem um princípio fundamental do Direito Natural”, afirmam os bispos.

“As uniões estáveis entre pessoas do mesmo sexo recebem agora em nosso País reconhecimento do Estado. Tais uniões não podem ser equiparadas à família, que se fundamenta no consentimento matrimonial, na complementaridade e na reciprocidade entre um homem e uma mulher, abertos à procriação e educação dos filhos.”

“Equiparar as uniões entre pessoas do mesmo sexo à família descaracteriza a sua identidade e ameaça a estabilidade da mesma”, afirma a CNBB.

“É um fato real que a família é um recurso humano e social incomparável, além de ser também uma grande benfeitora da humanidade. Ela favorece a integração de todas as gerações, dá amparo aos doentes e idosos, socorre os desempregados e pessoas portadoras de deficiência. Portanto têm o direito de ser valorizada e protegida pelo Estado.”

A CNBB expressou sua preocupação em “ver os poderes constituídos ultrapassarem os limites de sua competência, como aconteceu com a recente decisão do Supremo Tribunal Federal. Não é a primeira vez que no Brasil acontecem conflitos dessa natureza que comprometem a ética na política”.

“É atribuição do Congresso Nacional propor e votar leis, cabendo ao governo garanti-las”, afirmam os bispos.



Fonte: http://www.zenit.org/article-27940?l=portuguese





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 12/05/11 às 20:27:58 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES