Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.267.651
Visitas Únicas Hoje: 1.961
Usuários Online: 321
Sistema de Busca

 

Destaque




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1447 - Impresso: 41 - Enviado: 13 - Salvo em Word: 31
Postado em: 23/04/10 às 06:48:02 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=4959
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

VATICANO, 22 Abr. 10 / 01:31 pm (ACI).- Ao receber esta manhã as cartas créditos do novo embaixador da ex-república iugoslava da Macedônia, Gjoko Gjorgjevski, o Papa Bento XVI explicou que a justiça e o perdão são os pilares da paz tão necessária atualmente na sociedade.

Em seu discurso, o Papa recordou as boas relações entre a ex-república iugoslava da Macedônia e a Santa Sé, caracterizadas por uma cordial cooperação e manifestou seu agrado "pelo compromisso mútuo que levou à recente construção de novos edifícios de culto católico em diversos lugares desse país".

"No povo macedônio estão patentes os signos dos valores humanos e cristãos encarnados na vida das pessoas, que constituem o apreciável patrimônio espiritual e cultural da nação, do qual também são testemunhas eloqüentes os esplêndidos monumentos religiosos construídos em diversas épocas e localidades".

O Papa sublinhou que a Santa Sé olha essa herança "com grande estima e consideração, favorecendo, assim que é de sua competência, o aprofundamento histórico e documentário para um melhor conhecimento do passado religioso e cultural". Pensando nesse patrimônio e "forte de sua identidade espiritual", o povo macedônio "poderá contribuir sua experiência ao consórcio dos povos europeus", adicionou Bento XVI.

Seguidamente fez votos para que tenham êxito "as aspirações e os esforços crescentes desse país para formar parte de uma Europa unida, em uma condição de aceitação dos correspondentes direitos e deveres e no respeito recíproco das instâncias coletivas e dos valores tradicionais de cada povo".

O compromisso dos macedônios para fomentar o diálogo e a convivência entre as diversas realidades étnicas e religiosas que constituem o país, disse o Papa citando as palavras do diplomata, "contribuíram a criar um clima no qual as pessoas se reconhecem como irmãos, filhos do mesmo Deus e cidadãos de um único país".

"Evidentemente, corresponde em primeiro lugar aos responsáveis pelas instituições individuar o modo de traduzir em iniciativas políticas as aspirações dos homens e mulheres ao diálogo e à paz. Os fiéis, entretanto, sabem que a paz não é simplesmente o resultado do planejamento e as atividades humanas, mas sobre tudo dom de Deus aos homens de boa vontade. A justiça e o perdão são os pilares básicos desta paz. A justiça garante o pleno respeito dos direitos e deveres, e o perdão cura e reconstrói desde os alicerces as relações entre as pessoas, que ainda sofrem as conseqüências dos enfrentamentos entre as ideologias do passado recente".

"Superado o período trágico da última guerra mundial, depois da triste experiência do totalitarismo que negava os direitos fundamentais do ser humano, o povo macedônio se encaminha para um progresso harmonioso. Um desenvolvimento social e econômico estável não pode ignorar as necessidades culturais, sociais e espirituais do povo, e deve valorizar ademais as tradições e os recursos populares mais nobres", afirmou o Papa.

Por outra parte, é preciso ser conscientes de que a globalização, embora comporte "um nivelamento das diversidades sociais e econômicas", também poderia "agravar o desequilíbrio entre os que se beneficiam da crescente capacidade de produzir riqueza e os que ficam à margem do progresso".

"Espero que em um contexto global de relativismo moral e de escasso interesse pela experiência religiosa, no que freqüentemente se move uma parte da sociedade européia", o povo macedônio "saiba abrir-se com sabedoria aos novos horizontes da verdadeira civilização e do verdadeiro humanismo".

"Para isso, deverá manter vivos e sólidos, tanto no âmbito pessoal como no comunitário, os princípios que subjazem na civilização deste povo: o apego àfamília, a defesa da vida humana, especialmente a promoção das necessidades religiosas dos jovens".

A Igreja Católica na Macedônia, concluiu o Santo Padre, "embora constitua uma minoria quer oferecer sua sincera contribuição à construção de uma sociedade mais justa e solidária, apoiada nos valores cristãos que enriqueceram a consciência de seus habitantes".



Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=18761





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 23/04/10 às 06:48:02 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.

LEIA TAMBÉM












Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES