Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 12629 - Como é ser sacerdote em um país de maioria muçulmana e em guerra, como o Iraque?
Artigo visto 1288 vezes




Visto: 1288
Postado em: 15/09/14 às 19:35:54 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=12629
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

O trabalho pastoral em um país de maioria muçulmana é “certamente todo um desafio”, afirmou o sacerdote Luis Montes, que há anos acompanha os fiéis católicos em Bagdá (Iraque), e que hoje enfrenta o desafio de apoiar os cristãos que fogem da violência do Estado Islâmico (ISIS).

Em declarações à Ajuda à Igreja que Sofre, o Pe. Montes indicou que a realidade que vive a Igreja local é “algo totalmente diferente do que nós conhecemos no Ocidente”, pois enquanto nas nações onde predomina o cristianismo é possível manifestar publicamente a fé, no Iraque “é tudo mais a conta gotas: não se podem realizar atividades pastorais fora da igreja, como, por exemplo: procissões”.

“Aqui os cristãos não têm nada disso. Todo nosso apostolado é dentro da igreja, tudo mais reduzido, com menos fiéis e com muita gente que é hostil ao cristianismo”, expressou.

 

 

Entretanto, a isto se soma a insegurança que o país vive há anos, desde antes da aparição do Estado Islâmico. “Há anos se calcula que há uns vinte atentados por dia no Iraque. Em Bagdá quase todos os dias há atentados nas ruas. Isto certamente cria um cenário perigoso”.

“Nós –indicou-, vivemos de um lugar onde os cristãos não podem viver a sua fé livremente, onde são minoria e onde são discriminados na prática. É um lugar onde até as crianças sofrem discriminação nas escolas. A isto se soma a situação de insegurança e violência de um país que vive a pós-guerra. É um desafio grande para nós, para fazer que o Evangelho continue vivo”.

Apesar disso e com a chegada dos refugiados, a Igreja local tenta fazer de tudo. “Continuamos realizando a mesma ação pastoral de sempre para oferecer um sustento espiritual, só que com maior dificuldade para chegar a todos. Quanto à ajuda humanitária, estamos tentando conseguir ajuda para cobrir as necessidades básicas e também coordenamos sua distribuição. Este é nosso dia a dia”.

O Pe. Montes, junto com o Pe. Jorge Cortês – ambos do Instituto do Verbo Encarnado-, atendem atualmente aos fiéis que fogem da violência dos extremistas islâmicos.

Para ajudá-los ingresse em: http://amigosdeiraque.verboencarnado.net/como-nos-ajudar/

 


Fonte: http://blog.comshalom.org/carmadelio/42961-como-e-ser-sacerdote-em-um-pais-de-maioria-muculmana



LEIA TAMBÉM
O cerco de Viena pelo exército turco-otomano em 1529 - 1700 soldados cristãos contra 75 mil soldados Muçulmano
Fanáticos islâmicos almejam a conquista de Europa e do mundo
* A vida das freiras é chata?
O genocídio dos cristãos no Oriente Médio. Quem se importa?
Burundi, África: Três religiosas foram encontradas mortas no convento onde viviam em missão.
Aumenta no mundo preocupação com o crescimento dos que apoiam as idéias fundamentalistas do “estado islâmico”
Caso de menina com três pais biológicos: Perito denuncia que a vida humana está sendo convertida em um “produto”
Conheça o país que é uma das maiores histórias de sucesso na evangelização dos tempos modernos.
"Turismo da morte”. Número de doentes que vão à Suíça para se suicidar ( eutanásia ) dobra em quatro anos.



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 7.340.666
Visitas Únicas Hoje: 618
Usuários Online: 158