Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.424.735
Visitas Únicas Hoje: 1.895
Usuários Online: 461
Sistema de Busca

 

Destaque




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1476 - Impresso: 36 - Enviado: 16 - Salvo em Word: 24
Postado em: 11/07/14 às 13:04:06 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=12465
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Os líderes cristãos do Quênia temem que os conflitos religiosos no país estejam fora de controle. Neste final de semana, grupos armados do grupo islamista somali al-Shabab mataram pelo menos 29 pessoas.

Segundo a Cruz Vermelha no Quênia, os ataques aconteceram na região costeira.  O comissário de polícia do Estado de Lamu, Njenga Miiri, relatou que um grupo de 15 homens armados invadiu a vila de Malamandi, em Hindi, enquanto outro grupo atacou a delegacia de Gamba, no condado de Tana River, onde libertou os presos, entre eles um militante da al-Shabab.

O Quênia tem testemunhado um crescimento nos ataques desde que aumentou a repressão do governo contra o al-Shabab, depois do ataque a um shopping ano passado. Contudo, divergências dentro do governo dificultam o combate ao grupo terrorista que tem ligações com a Al Qaeda.

Em Hindi, os homens armados entraram na vila e começaram a disparar contra as pessoas e colocaram fogo em uma igreja. O comissário municipal, Miiri Njenga, afirma que edifícios governamentais também foram incendiados.

Os guerrilheiros islamistas deixaram clara a intenção do ataque. Sobre o corpo de um dos mortos depositaram a Bíblia que ele carregava. A imagem foi estampada em vários periódicos internacionais nesta segunda, lembrando ao mundo das ameaças feitas pelo al-Shabab de exterminar todos os cristãos do país. No mês passado, cerca de 60 cristãos foram mortos enquanto assistiam a jogos da Copa do Mundo na TV, prática condenada pelos muçulmanos radicais.

Em entrevista ao site da Agência de Notícia do Quênia, o pastor Eliud Muwe, da cidade de Madogo, lembrou que dois anos atrás, dia 1 de julho de 2012, sua igreja foi atacada e 20 fiéis morreram quando granadas foram lançadas contra o templo na hora do culto. Mesmo assim, eles continuam se reunindo no local. Embora temam novos ataques e muitas pessoas ainda estejam com medo de ir aos cultos, a média de frequência na igreja subiu de 50 para 150 pessoas.

O clima de medo que tomou conta do país tem atraído muitos para ouvir a Palavra de Deus. Disse ainda que eles perdoaram os muçulmanos que os atacaram, mas esperam que o governo tome providências para proteger a população.  Com informações News Week



Fonte; http://noticias.gospelprime.com.br/cristao-morto-muculmano-biblia/





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 11/07/14 às 13:04:06 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.

LEIA TAMBÉM












Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES