Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 5.460.871 Visitas Únicas Hoje: 309
Usuários Online: 101
Sistema de Busca
Documento sem título

Qual a aparição de Nossa Senhora mais importante na História?

Medjugorje

Fátima














Newsletter Espacojames
Receba nossas atualizações diretamente no seu Email - Grátis!
 

Destaque




Salvar em PDF






Visto: 1066 - Impresso: 31 - Enviado: 13 - Salvo em Word: 25
Postado em: 16/11/12 às 16:50:15 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=10314
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

MONTEVIDÉU, 13 Nov. 12 / 10:08 am (ACI).- O Congresso do Uruguai debate esta semana o mal chamado "matrimônio" gay, que supõe a modificação do Código Civil desta nação para permitir as uniões de pessoas do mesmo sexo.

Conforme assinalam meios locais, a Comissão de Constituição e Códigos da Câmara de Deputados votará na quarta-feira 14 os 29 artigos que conformam o projeto de lei, apresentado em agosto de 2011.

Embora a iniciativa conte com o apoio do Frente Amplo, partido do presidente José Mujica, que há poucos dias promulgou a lei que despenalizó o aborto, os legisladores admitem que entre eles há distintas posturas sobre o tema.

Federico Graña, do grupo Ovelhas Negras, que faz parte do lobby gay e que participou da redação do projeto, qualificou a iniciativa como um "grande avanço para a sociedade uruguaia".

O Partido Nacional, da oposição, expressou seu rechaço a chamar de matrimônio a união de pessoas do mesmo sexo e Francisco Gallinal, senador desta bancada partidária, assegurou ao jornal uruguaio El Pais que sua aprovação "desestimula a família biológica protegida pela Constituição da República".

A doutrina católica não aprova o mal chamado "matrimônio" gay porque atenta contra a natureza, sentido e significado do verdadeiro matrimônio, constituído pela união entre um homem e uma mulher, sobre a qual se forma a família.

O Vaticano e os bispos em diversos países do mundo denunciaram que as legislações que pretendem apresentar "modelos alternativos" de vida familiar e conjugal atentam contra a célula básica da sociedade.



Fonte: http://acidigital.com/noticia.php?id=24460











Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 16/11/12 às 16:50:15 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.




LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES