Chocante: abortistas lançam videogame em que o objetivo é matar nascituros
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.081.803
Visitas Únicas Hoje: 470
Usuários Online: 162
Sistema de Busca

 

Obras Malignas




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 162 - Impresso: 4 - Enviado: 1 - Salvo em Word: 3
Postado em: 28/07/18 às 23:16:01 por: James
Categoria: Obras Malignas
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=31&id=15025
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Obras Malignas

"Você derrotou o fetinho!" - A cultura do descarte escancara cada vez mais explicitamente que desconhece de fato qualquer limite moral

Em meio ao debate sobre a legalização do aborto livre na Argentina até a 12ª semana de gestação, uma desenvolvedora de software criou uma estarrecedora extensão de um famoso jogo para computadores.

O objetivo? Atirar até matar um bebê em gestação a fim de conseguir um medicamento que provoca o aborto.

Ao jogador que consegue “vencer” aparece a seguinte mensagem:

Você derrotou o fetinho! Dê este remédio aos necessitados para que eles também possam vencê-lo!”

Além de tentar ridicularizar o movimento pró-vida e a própria vida do ser humano mais indefeso, o lançamento de um jogo cuja proposta é exterminar bebês em gestação consegue mostrar que a cultura do descarte desconhece de fato qualquer limite moral.

Aliás, antes de matar o bebê, o jogador precisa matar padres católicos e mulheres pró-vida, que, portanto, são apresentados a crianças e adolescentes como “inimigos” a serem eliminados. Como se não bastasse, os padres e as mulheres defensoras do nascituro ainda são apresentados junto com policiais nazistas, em manipuladora e abjeta tentativa de associação ideológica.

A criadora do jogo, Florencia R., declarou que a figura do bebê usada no videogame é uma reprodução do nascituro que aparece em centenas de cartazes levantados pelos defensores da vida nas marchas massivas que tomaram a Argentina ao longo dos últimos meses.


Perigoso “fruto da cultura de morte, dominante via mídia”

Silvina Spataro, da plataforma pró-vida CitizenGO, afirmou à agência de notícias ACI Digital que o jogo não apenas é “vergonhoso e de mau gosto“, por ser “fruto da cultura de morte dominante através da mídia“, como também é perigoso:

“Estão anestesiando a consciência das crianças e dos adolescentes, reduzindo o valor da vida e mostrando como ‘inimigos’ justamente aqueles que defendem e exaltam a vida. O objetivo é eliminar o nascituro em vez de protegê-lo, mostrando o verdadeiro rosto dos abortistas”.

 



Fonte: www.aleteia.org





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 28/07/18 às 23:16:01 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES