Espacojames


Página Inicial
Listar Resposta Católica


Como Baixar o vídeo para seu computador? Copie o link deste vídeo [ https://www.youtube.com/watch?v=U42Le_DRlNc ] depois, entre neste site: [ http://pt.savefrom.net ] cole o link no campo indicado e clique na seta > para baixar. Não precisa instalar nada, todo o processo é online.


Artigo N.º 11394 - 120 – A Resposta Católica: Como posso regularizar minha situação com a Igreja se meu companheiro não deseja o matrimônio?
Artigo visto 1546 vezes




Visto: 1546
Postado em: 04/09/13 às 21:28:02 por: James
Categoria: Resposta Católica
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=197&id=11394
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Resposta Católica

Muitas pessoas vivem a dramática situação de terem se casado somente no civil e ao manifestarem o desejo de regularizar a situação encontram resistência em seus parceiros.

Para os católicos, o compromisso firmado civilmente não tem validade sacramental, portanto, o casal que assim procedeu não está casado perante a Igreja e como apenas convive está em estado de pecado, desta forma, impedido de aproximar-se dos sacramentos. É uma situação bastante delicada, mas muito comum.
 
A Igreja, reconhecendo a validade do acordo firmado entre os cônjuges, utiliza o seu poder para transformar aquele consentimento dado no casamento civil em sacramento. Trata-se da sanação radical (sanatio in radice), que se encontra tipificada no Código de Direito Canônico, nos cânones 1161 e seguintes:
 
Cân. 1161 § 1. A sanação radical (sanatio in radice) de um matrimônio nulo é a sua convalidação, sem renovação de consentimento, concedida pela autoridade competente, trazendo consigo a dispensa do impedimento, se o houver, e também da forma canônica, se não tiver sido observada, como ainda a retroação dos efeitos canônicos ao passado.
 
§ 2. A convalidação tem lugar desde o momento em que se concede a graça; mas a retroação se entende feita até o momento da celebração do matrimônio, a não ser que expressamente se determine outra coisa.
 
§ 3. Não se conceda a sanatio in radice, se não for provável que as partes queiram perseverar na vida conjugal.
 
Cân. 1162 § 1. Se em ambas as partes ou numa delas falta o consentimento, o matrimônio não pode ser objeto de sanatio in radice, quer o consentimento tenha faltado desde o início, quer tenha sido dado no início, mas depois tenha sido revogado.
 
§ 2. Se não houve o consentimento desde o início, mas depois foi dado, pode ser concedida a sanação desde o momento em que foi dado o consentimento.
 
Cân. 1163 § 1. Pode ser sanado, o matrimônio nulo por impedimento ou por falta de forma legítima, contanto que persevere o consentimento de ambas as partes.
 
§ 2. O matrimônio nulo por impedimento de direito natural ou divino positivo só pode ser sanado depois de cessado o impedimento.
 
Cân. 1164 A sanação pode ser concedida validamente, mesmo sem o conhecimento de uma das partes ou de ambas; não se conceda, porém, a não ser por causa grave.
 
Cân. 1165 § 1. A sanatio in radice pode ser concedida pela Sé Apostólica.
 
§ 2. Pode ser concedida pelo Bispo diocesano, caso por caso, ainda que concorram vários motivos de nulidade no mesmo matrimônio, observando-se as condições mencionadas no cân. 1125, para a sanação do matrimônio misto; mas não pode ser concedida por ele, se existe impedimento, cuja dispensa está reservada à Sé Apostólica, de acordo com o cân. 1078, § 2, ou se trata de impedimento de direito natural ou divino positivo que já cessou.
A sanação radical pode ser aplicada tanto àqueles que se casaram no civil ou não, contanto que tenham assumido publicamente o compromisso um com o outro e que vivam nessa disposição. Nesse caso, o cônjuge que deseja regularizar a situação deve procurar o seu pároco e dar entrada nos papéis como se fosse celebrar o casamento. Após a documentação estar pronta, ela é enviada ao Bispo que concede a sanação. Não é necessário nenhuma celebração, apenas a concessão do Bispo.
 
Infelizmente, este remédio que a Igreja oferece não é muito conhecido pelos sacerdotes, embora esteja no Código de Direito Canônico. Assim, caso seja este o caso, não hesite em apontar os números dos cânones ao seu pároco. A sanação radical é uma alternativa salutar para muitos que vivem essa dramática realidade e que querem regularizar sua situação junto à Igreja.


Fonte: http://www.padrepauloricardo.org



LEIA TAMBÉM
119 – A Resposta Católica: Desde quando a Igreja começou a usar o nome de Católica?
118 – A Resposta Católica: É necessário fazer um curso de catequese na Igreja para receber a Primeira Comunhão?
117 – A Resposta Católica: Qual é o ensinamento da Igreja em relação a jejuar e abster-se de carne?
116 – A Resposta Católica: Um católico pode ser maçom?
115 – A Resposta Católica: É possível um católico defender a Teoria da Evolução?
114 – A Resposta Católica: Cumpro o preceito dominical participando da Celebração da Palavra?
113 – A Resposta Católica: Afinal, os padres são ou não obrigados a usar um hábito eclesiástico?
112 – A Resposta Católica: Correção do episódio "Uma pessoa aidética pode contrair matrimônio?"
111 – A Resposta Católica: É permitido o uso da cor preta como cor litúrgica?



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 7.269.113
Visitas Únicas Hoje: 145
Usuários Online: 344