Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 5.459.486 Visitas Únicas Hoje: 327
Usuários Online: 114
Sistema de Busca
Documento sem título

Qual a aparição de Nossa Senhora mais importante na História?

Medjugorje

Fátima














Newsletter Espacojames
Receba nossas atualizações diretamente no seu Email - Grátis!
 

Livro Aberto
Coloco nesta catogira livros inteiros sobre nossa fé católica, que serão inseridos por partes.




Salvar em PDF






Visto: 2605 - Impresso: 56 - Enviado: 15 - Salvo em Word: 51
Postado em: 12/11/11 às 20:23:44 por: James
Categoria: Livro Aberto
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=180&id=9126
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Livro Aberto

Continuação

PÁSCOA DOS DOZE ANOS:

- A Sagrada Escritura descreve um acontecimento notável, ocorrido na Juventude de JESUS, suficiente para fazer-nos compreender o DEUS maravilhoso que se manifestava através daquele MENINO - HOMEM.


Todos os anos, em obediência aos preceitos da Lei, os judeus eram obrigados a participarem das três principais festas religiosas que se realizavam no Templo em Jerusalém: Páscoa, Pentecostes e Tabernáculos. Por essa razão, desde criança, JESUS com seus pais, em companhia de parentes, vizinhos e amigos, formavam uma grande caravana e viajavam de Nazaré à Jerusalém, para participarem daquelas celebrações. Era necessário a formação de caravanas para se protegerem contra os assaltos de bandidos e ladrões, que infestavam aquela região.

- Também pela Lei, aos 12 anos de idade, os homens eram considerados “cidadãos judeus”, adquirindo direitos e obrigações civis e religiosas, da mesma forma que as mulheres ficavam legalmente autorizadas a se casarem.


Geralmente a declaração da “maioridade” dos rapazes, era feita no Templo, num dia da semana durante as celebrações da Páscoa.

Assim, quando o SENHOR completou 12 anos de idade, a viagem à Jerusalém para participar da Páscoa, também tinha o objetivo de declarar a sua maioridade, conforme determinava a Lei.

Todavia, naquela primavera do ano 7 dC, o ambiente na cidade se apresentava de maneira anormal e assustador, com grande movimentação política e uma detestável atividade de bandos de malfeitores.

Em fins do ano anterior, Arqueláu que era o Governador da Judéia, foi convocado a comparecer diante do Senado em Roma, para responder por seus crimes e tiranias, que tornava insuportável viver sob o seu domínio. Tantos eram, que não conseguiu defender-se das acusações, sendo julgado culpado e condenado a viver exilado em Viena, na Gália, de onde nunca mais voltou, sendo os seus bens confiscados pelos romanos.

Em face deste acontecimento, a Judéia ficou um tempo apreciável sem Governador. Diversos grupos políticos se insurgiram e se proclamavam “donos da lei”. Ocorreram brigas, furtos, saques de propriedades e mortes bárbaras, porque no meio da confusão se infiltraram bandidos, pessoas mal intencionadas e malfeitores, deixando no povo um grande medo e uma imensa incerteza, pela ausência de uma autoridade constituída que mantivesse a ordem e impusesse o direito e a justiça.

Em consequência, as famílias que chegavam para participarem das cerimônias, procuravam manter-se unidas entre si e junto de seus amigos, com a finalidade de não oferecerem condições para sofrerem ocorrências desagradáveis.

- Terminadas as solenidades da Páscoa Judaica, como acontecia em todos os anos, as famílias regressaram a seus lares. Entretanto, desta vez JESUS ficou em Jerusalém, sem que ninguém percebesse. José e Maria sentiram falta de sua presença, mas imaginaram que ELE estivesse com outros rapazes na caravana. Não deram grande importância ao fato porque O conheciam muito bem e sabiam, que algo de útil estava fazendo.

Mas, no fim do primeiro dia de viagem, quando a caravana parou no local previamente combinado, e cada família descarregou os seus animais para montarem as barracas, a fim de descansarem e passarem a noite, sua ausência começou a ser realmente sentida, porque ELE não apareceu para ajudar os seus pais. Com aflição, José e Maria O procuraram nas barracas das diversas famílias e não O encontraram, ninguém tinha notícias DELE. Preocupados, não conseguiram dormir e no dia seguinte, logo bem cedo, retornaram à Jerusalém em busca do FILHO.


Cada hora que passava, mais aumentavam os seus temores e as suas incertezas, primordialmente porque se lembravam daquele estado de revolta e daquela série de acontecimentos deploráveis, que produziam uma grande insegurança no meio do povo.

Chegaram a Jerusalém ao entardecer, cansados pelo desgaste físico da viagem e torturados por uma quantidade incontável de pensamentos negativos que destruía a natural tranquilidade do casal e impedia que descansassem corretamente.

No terceiro dia, pela manhã, encontraram JESUS no Templo! ELE estava sentado entre os escribas e doutores da lei, sendo questionado e respondendo todas as perguntas com sabedoria e discernimento, explicando os versículos da Sagrada Escritura com autenticidade e com a autoridade que somente ELE sabia exercer. Todos estavam admirados com sua inteligência e com suas palavras. Verdadeiramente o ESPIRITO DE DEUS estava NELE e falava pelos seus lábios, pelos seus gestos e seu Coração.



- José e Maria ficaram impressionados com aquela notável manifestação de seu FILHO JESUS! Aguardaram o momento oportuno e O chamaram.
Maria falou:

Meu Filho, porque agiste assim conosco? Olha que teu pai e eu, aflitos, te procurávamos”. (Lc 2,48)

JESUS respondeu:

Porque me procuráveis? Não sabíeis que devo estar na casa de meu PAI?” (Lc 2, 49)

José e Maria não entenderam a resposta do FILHO, que como tantas outras, brotavam com graça e encantamento, de um imenso e notável mistério chamado JESUS. Também perceberam, não se tratava de uma resposta “brusca” ou “ríspida”. JESUS era carinhoso e obediente aos seus pais. O acontecimento era na verdade, uma manifestação da autoridade Divina que reconhecia no CRIADOR o único e verdadeiro PAI. Embora com apenas 12 anos de idade, o ESPIRITO SANTO se manifestava NELE, confirmando que ELE era de fato o FILHO ETERNO do PAI CRIADOR.

Por sua vez, JESUS percebendo que involuntariamente tinha causado intranquilidade e aflições a José e Maria, despediu-se dos doutores da lei e seguiu com seus pais para Nazaré, obedecendo-lhes com total submissão. (Lc 2,51)

--

PERÍODO OCULTO:

- Dos 12 aos 30 anos de idade, a Sagrada Escritura não informa e nem faz referências sobre as atividades do SENHOR. Por esta razão, sendo um tempo em que não existem notícias sobre a Vida de JESUS, muitas hipóteses são formuladas sugerindo incríveis possibilidades: como se ELE estivesse viajando para outras nações, ou estivesse atuando na seita dos Zelotes que queria libertar Israel do poderio militar de Roma, ou ainda, que neste período estivesse convivendo com os Essênios.



Principalmente no caso dos Essênios, muito foi escrito e falado, e muitas provas foram arquitetadas e arranjadas. A maioria dos argumentos se baseavam em pergaminhos escritos naquela época, que foram encontrados casualmente dentro de jarras de barro, em 1947, por um jovem beduíno, numa caverna em Khirbat Qumran, em Israel. Estes documentos são conhecidos como os “Manuscritos do Mar Morto”. O achado despertou o interesse de estudiosos e arqueólogos, que empreenderam uma ampla pesquisa e realizaram escavações, localizando e desenterrando um Mosteiro Essênio, descobrindo muitos outros manuscritos que falam sobre eles, sobre a época em que viveram e sobre as doutrinas da Seita, permitindo-nos saber que eram monges, que se assemelhavam quanto ao comportamento, as regras e os hábitos de suas vidas, a uma ordem religiosa moderna.

Levavam uma vida muito austera, praticando o celibato, a humildade e a pobreza. Tinham seus bens em comum e vestiam-se com túnicas branca, para simbolizar a pureza moral que cultivavam. Exercitavam intensamente a espiritualidade, sempre orientada para o DEUS UNO, da mesma forma, que acreditavam e aguardavam a vinda do Messias. Consideravam-se como perfeitos santos, como depositários dos mais secretos desígnios do CRIADOR, e com grande ênfase, pregavam a necessidade da prática do amor fraterno e das boas obras, assim como aguardavam a luta definitiva entre o “bem” e o “mal”. Eram praticamente eremitas do deserto. Segundo o relato dos manuscritos, fazem menção a um personagem que existia no meio deles, a quem chamavam de “Mestre da Justiça” ou “Mestre da Retidão”. É justamente a este “Mestre”, que diversos pesquisadores e alguns historiadores insistem em afirmar que era JESUS, que estava vivendo entre os essênios no período oculto de sua vida.



- É verdade que existiram os monges essênios e que eles viveram na época de JESUS, tinham uma vida irrepreensível, assim como um “Chefe” exemplar, um homem digno, honesto, considerado por todos como uma pessoa “justa”, que possuía qualidades notáveis, raramente igualadas por outro ser humano. Sabemos ainda, que São João Evangelista, Discípulo do SENHOR, os admirava e sempre que se referia a eles, o fazia com muita simpatia e consideração, pelo fato de que os monges essênios eram realmente, uma respeitada facção religiosa judaica, antes e logo após o alvorecer do Cristianismo.

Dessa forma, em vista de todas estas qualidades admiráveis, é perfeitamente admissível e normal que São João Evangelista, assim como qualquer outro Apóstolo reconhecesse nos essênios a grandeza de sua obra, apreciasse as suas notáveis e preciosas qualidades, assim como reverenciasse o valor de seu espírito.

A Seita dos Essênios, assim como todas as outras existentes, praticamente desapareceram na guerra do ano 70 dC, quando as legiões romanas comandadas por Tito, constituída por soldados adestrados e bem armados, destruíram a cidade de Jerusalém, incendiaram o Templo e aniquilaram todos os focos de agitação no território judeu, inclusive os grupos religiosos, que no pensamento romano, eram considerados suspeitos.

Dos Essênios restou a lembrança, representada pelas relíquias arqueológicas e pelos manuscritos, que são motivos de estudos e apreciações.

Resultante única do massacre das guerras, do fanatismo de governantes e das perseguições de burlescos imperadores e mandatários vis, que mataram muita gente e fizeram correr muito sangue, que destruíram muitas esperanças e causaram muita miséria e dor, só mesmo o Cristianismo resistiu e continuou incólume, cada vez mais arraigado nas almas de boa vontade, que sempre souberam como encontrar e amar DEUS.

- JESUS é o FILHO DE DEUS, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, que sempre existiu, com o PAI ETERNO e o ESPÍRITO SANTO, constituindo a Trindade UNA e Indivisível, o DEUS UNO e TRINO.

Então, como imaginar a filiação de JESUS a qualquer Seita?

É um grande disparate que não tem qualquer sentido!

O que vem de CRISTO é o Cristianismo que ELE Mesmo fundou pela Vontade do CRIADOR, e que é a expressão mais perfeita da Verdade, da Graça e do Amor. JESUS é a própria religião. Impossível separa-lo do Cristianismo. Dessa forma, jamais haveria motivo e qualquer razão para ELE Se filiar aos Zelotes, aos Essênios, ou a qualquer outra Seita ou facção religiosa, por mais santa e irrepreensível que ela fosse.

Imaginamos, que naquele período oculto de Sua Vida, ELE vivia executando trabalhos de carpinteiro com o seu pai, ou ajudando a sua mãe nos afazeres domésticos, com a mente em orações, em permanente contato com o PAI ETERNO, numa longa e carinhosa preparação, para existir como o Homem, que pela Vontade do CRIADOR, ELE tinha que ser.

 


A imagem do "Peixe" aqui fixada, servia para identificar os cristãos no tempo da terrível perseguição empreendida pelos Imperadores Romanos. Na sequência, o "Peixe" foi usado para identificar os cristãos de um modo geral e o próprio CRISTO, criador e fundador do Cristianismo. Nesta página Web, fizemos uma associação de idéias, ilustrando a Juventude do SENHOR, com o crescimento do "Grande Peixe".

Continua...

 














Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 12/11/11 às 20:23:44 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.




LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES