Espacojames


Página Inicial
Listar Livro Aberto




Artigo N.º 7141 - Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 9
Artigo visto 2164 vezes




Visto: 2164
Postado em: 19/01/11 às 11:14:36 por: James
Categoria: Livro Aberto
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=180&id=7141
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Livro Aberto

Palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo à sua esposa escolhida e muito amada, Santa Brígida; sobre a proclamação de sua santíssima encarnação; a rejeição, profanação e abandono de nossa fé e batismo; e como Ele convida sua amada esposa e todo o povo cristão a amá-Lo.

Baixe o livro completo em nosso site no artigo N.º 4917

http://www.espacojames.com.br/?cat=99&id=4917

--

Livro 1 - Capítulo 22

A Mãe falou a à esposa de seu Filho dizendo-lhe: “Tu és a esposa de meu Filho. Diga-me, no que estás pensando e o que desejas?” A esposa respondeu: “Senhora minha, tu o sabes, porque sabes tudo”. A Virgem Bendita acrescentou: “Mesmo que eu saiba tudo, gostaria que me dissesses na presença dessas pessoas que te escutam”. A esposa disse: “Senhora minha, temo duas coisas. Primeiro – disse – temo não lamentar-me nem emendar-me por meus pecados tanto quanto desejaria. Segundo, estou triste porque teu Filho tem muitos inimigos”.

A Virgem Maria respondeu: “Dar-te-ei três remédios para a primeira preocupação. Em primeiro lugar, pensa em como todos os seres que têm alma, como as rãs ou qualquer outro animal, de vez em quando têm problemas, mesmo que suas almas não sejam eternas, e que morrem com seus corpos. Entretanto, teu espírito e toda a alma humana vive para sempre. Segundo, pense na misericórdia de Deus, porque não há ninguém que, por mais pecados que tenha, não seja perdoado se tão somente rezar com contrição e com a intenção de melhorar. Terceiro, pensa quanta glória consegue a alma quando vive com Deus e em Deus eternamente.

Vou dar-te também três remédios para sua segunda preocupação, sobre os muitos inimigos de Deus. Primeiro, considera que teu Deus e Criador, e o deles, é Juiz sobre eles, e que eles nunca mais irão criticá-lo novamente, mesmo porque tolerou pacientemente sua maldade durante um tempo. Segundo, recorda que eles são os filhos da infâmia, e pensa no duro e insuportável que será para eles arder eternamente. São servos tão péssimos que ficarão sem herança, enquanto os bons filhos a receberão. Mas talvez te perguntes: ‘Ninguém, então, há de pregar para eles?’ Claro que sim! Recorda que muito frequentemente as boas pessoas se misturam com os perversos e que os filhos adotivos, às vezes, se afastam dos bons como o filho pródigo que procurou uma terra distante e levou uma vida de perdição. Mas, às vezes, a pregação reverte sua consciência e eles voltam ao Pai e eu os aceito como antes de pecar. É assim que se deve pregar especialmente para eles porque, ainda que um pregador possa encontrar somente gente perversa ao seu redor, deve pensar em seu interior: ‘Talvez haja alguns entre eles que se tornarão filhos de meu Senhor. Por isso, pregarei para eles. Esse pregador será muito premiado’.

Em terceiro lugar, considera que aos malvados se lhes permite continuar vivendo como prova para os maus para que eles, exasperados pelos hábitos dos perversos, possam conseguir sua remuneração como fruto de sua paciência. Isto poderás entender melhor por meio de um exemplo. Uma rosa desprende um agradável aroma, é bela de se ver e suave para o tato, mas cresce entre espinhos que espetam se os tocar, são feios de se ver e não desprendem nenhum bom odor. Igualmente, as pessoas boas e retas, mesmo que possam ser agradáveis por sua paciência, belas por seu caráter e suaves por seu bom exemplo, no entanto não podem progredir, nem ser postas à prova a menos que estejam entre os malvados. O espinho é, às vezes, a proteção da rosa, de forma que ninguém a arranque em plena floração. Assim também, os malvados oferecem aos bons a ocasião de não segui-los no pecado quando, devido à maldade dos outros, os justos se controlam ante a ruína a que os poderia levar uma imoderada alegria ou qualquer outro pecado. O vinho não mantém sua qualidade exceto entre excrementos e tampouco as pessoas boas e justas podem manter-se firmes e avançar para a virtude sem ser postas à prova mediante tribulações e sendo perseguidas pelos injustos. Por isso, suporta com alegria os inimigos de meu Filho. Recorda que Ele é o Juiz e, se a justiça exigir que Ele os destrua por completo, acabaria com eles em um instante. Tolera-os, pois, tanto como Ele os tolera!”

Palavras de Cristo à sua esposa descrevendo um homem que não é sincero, mas sim inimigo de Deus e especialmente sobre sua hipocrisia e suas características.

Livro 1 - Capítulo 23

As pessoas o veem como um homem bem vestido, forte e digno, ativo na batalha do Senhor. Entretanto, quando tira a casca, é repugnante de se olhar e inútil para qualquer trabalho. Seu cérebro aparece nu, tem as orelhas na frente e os olhos na parte traseira de sua cabeça. Seu nariz está cortado. Suas bochechas estão fundas como as de um homem morto. Em seu lado direito, sua “maçã do rosto” e a metade de seus lábios caíram por completo, ou seja, não há nada na direita exceto sua garganta descoberta. Seu peito está infestado de vermes; seus braços são como um par de serpentes.

Um maligno escorpião senta-se em seu coração; suas costas parecem carvão queimado. Seus intestinos fedem podre como carne cheia de pus, seus pés estão mortos e são inúteis para caminhar. Agora te direi o que tudo isso significa. Por fora, é um tipo de homem que parece ornado de bons hábitos e de sabedoria, ativo no meu serviço, mas não é assim realmente. Porque se tiramos a casca de sua cabeça, ou seja, se a gente o visse como é, seria o homem mais feio de todos. Seu cérebro está tão nu, que a vaidade e a frivolidade de suas maneiras são sinais suficientemente evidentes para os homens bons, de que é indigno de tanta honra.

Se conhecesse minha sabedoria, perceberia que quanto mais se eleva em sua honra sobre os demais, ele deveria, muito mais que os outros, cobrir-se de austeras maneiras. Suas orelhas estão em sua frente porque, em lugar da humildade, que deveria ter por sua alta categoria e que deveria deixar brilhar para outros, ele somente quer receber bajulação e glória. Em seu lugar, ele põe orgulho e é por isso que quer que todos o chamem de grande e bom. Tem olhos na nuca porque todo seu pensamento está no presente e não na eternidade. Ele pensa em como agradar os homens e sobre o que se requer para as necessidades do corpo, mas não em como agradar-me nem no que é bom para as almas. Seu nariz está cortado, tanto que perdeu a discrição mediante a qual poderia distinguir entre pecado e virtude, entre a glória temporal e eterna, entre as riquezas mundanas e eternas, entre os prazeres breves e os eternos. Suas bochechas estão afundadas, ou seja, todo seu sentido de vergonha em minha presença, junto com a beleza das virtudes pelas quais poderia agradar-me, estão mortos por completo ao menos no que me diz respeito. Tem medo de pecar por medo da vergonha humana, mas não por medo de mim. Parte de sua “maçã do rosto” e lábios sumiram, ficando sem nada a não ser a garganta, porque a imitação de meus trabalhos e a pregação de minhas palavras, junto com a oração sentida desde o coração, desapareceram nele, por isso nada ficou, salvo sua garganta glutona. Mas ele encontra, na imitação do depravado e no envolver-se em assuntos mundanos, algo, a uma só vez, saudável e atrativo.

Seu peito está cheio de vermes porque nele, onde deveria estar a recordação de minha Paixão e a memória de minhas obras e mandamentos, somente há preocupação pelos assuntos temporais e desejos mundanos. Os vermes corroeram sua consciência de forma que já não pensa em coisas espirituais. Em seu coração, onde eu gostaria de morar e onde deveria residir meu amor, reside um maligno escorpião de cauda venenosa e feição insinuante.

Por isso que de sua boca saem palavras sedutoras e aparentemente sensíveis, mas seu coração está cheio de injustiça e falsidade, porque não lhe importa se a Igreja que representa se destrói enquanto ele pode seguir adiante com sua vontade egoísta. Seus braços são como serpentes porque, em sua perversidade, alcançam os simples e os atraem para si com simplicidade, mas quando se acomodam a seus propósitos, os dispensa como a pobres desgraçados. Como uma serpente, se enrosca sobre si escondendo sua malícia e iniquidade, de tal forma que dificilmente se pode detectar seu artifício. A meus olhos, ele é como uma vil serpente, porque como a serpente é mais odiosa que qualquer outro animal, ele é também para mim o mais infame de todos na medida em que reduz a nada minha justiça e me considera como alguém relutante em infligir castigos.

Suas costas são como o carvão negro, ainda que devesse ser como o marfim, pois suas obras deveriam ser mais corajosas e puras que as dos outros, para apoiar os fracos com sua paciência e exemplo de vida reta. Entretanto, é como carvão porque, ele também é fraco para pronunciar uma só palavra que me glorifique, a menos que o beneficie. Ainda assim, se crê valente com respeito ao mundo. Em consequência, ainda que ele creia que se mantém reto, cairá na mesma medida de sua deformidade como o carvão privado de vida, diante de mim e dos meus santos. Seus intestinos estão fétidos porque, diante de mim, seus pensamentos e afetos fedem à carne podre, cujo fedor ninguém pode suportar. Nenhum dos santos o pode suportar. Ao contrário, todos afastam seu rosto dele e exigem que se lhe apliquem uma sentença. Seus pés estão mortos porque seus dois pés são suas duas disposições em relação a mim, ou seja, o desejo de emenda por seus pecados e o desejo de fazer o bem. Entretanto, esses pés estão mortos nele porque a essência do amor se consumiu nele e não lhe fica nada mais do que os ossos endurecidos. É nesta condição que está diante de mim. Entretanto, enquanto sua alma permanecer em seu corpo poderá obter minha misericórdia.

EXPLICAÇÃO

São Lourenço apareceu dizendo: “Quando estive no mundo, tinha três coisas: continência comigo mesmo, misericórdia com meu próximo e caridade com Deus. Por isso, preguei a palavra de Deus zelosamente, distribuí os bens da Igreja com prudência, e suportei açoites, fogo e morte com alegria. Mas este bispo resiste e camufla a incontinência do clero, gasta livremente os bens da Igreja com os ricos e mostra caridade para consigo e para o que é seu. Portanto, declaro para ele que uma nuvem luminosa subiu ao Céu, sombreada por chamas escuras, de tal forma que muitos não a podem ver. Esta nuvem é a intercessão da Mãe de Deus para a Igreja. As chamas da avareza e da falta de piedade e de justiça a escurecem de tal maneira que a amável misericórdia da Mãe de Deus não pode entrar nos corações dos oprimidos. Por isso, que o arcebispo volte rapidamente à caridade divina corrigindo-se, aconselhando seus subordinados por palavras e por obra, e animando-os a melhorar. Se não o fizer, sentirá a mão do Juiz, e sua Igreja diocesana será purgada a fogo e espada e afligida pela rapina e a tribulação, e passará muito tempo sem que ninguém a possa consolar”.

Palavras de Deus Pai à Corte Celeste, e a resposta do Filho, e, a Mãe ao Pai, solicitando graças para sua Filha, a Igreja.

Livro 1 - Capítulo 24

Falou o Pai enquanto atendia toda a Corte Celeste e disse: “Ante vós exponho minha queixa porque desposei minha Filha com um homem que a atormenta terrivelmente, atou seus pés a uma estaca de madeira e toda a sua essência se esvai”. O Filho lhe respondeu: “Pai, eu a redimi com meu sangue e a aceitei por Esposa, mas agora ela me foi arrebatada à força”. Então, a Mãe falou: “És meu Deus e Senhor. Meu corpo carregou os membros de teu bendito Filho, que é verdadeiro Filho teu e é verdadeiro Filho meu. Não lhe neguei nada na terra. Por minhas súplicas, tenha misericórdia de tua Filha!”Depois disso, falaram os Anjos dizendo: “Tu és nosso Senhor. Em ti possuímos todo o bem e não necessitamos nada mais que tu.

Quando tua esposa saiu de ti, todos nos alegramos, mas agora temos razões para estarmos tristes, porque foi jogada nas mãos do pior dos homens, que a ofende com todo o tipo de insultos e abusos. “Por isso, tende piedade dela por tua grande misericórdia, pois se encontra em uma extrema miséria, e não há ninguém que possa consolá-la nem libertá-la exceto tu, Senhor, Deus todo poderoso”. Então, o Pai respondeu ao Filho dizendo: “Filho, tua angústia é a minha, tua palavra é a minha e tuas obras são as minhas. Tu estás em mim e eu estou em ti, inseparavelmente. Faça-se tua vontade!” Depois, disse à Mãe do Filho: “Por não haver-me negado nada na terra, também não te negarei nada no Céu. Teu desejo deve ser satisfeito”. Aos anjos disse: “Sois meus amigos e a chama de vosso amor arde em meu coração. Por vossas orações, terei misericórdia de minha filha”.

Palavras do Criador à esposa sobre como sua justiça mantém os malvados na existência por uma tríplice razão.

Continua...


Fonte: Extraído do Livro As Profecias e Revelações de Santa Brígida



LEIA TAMBÉM
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 8
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 7
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 6
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 5
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 4
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 3
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 2
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 1 de 41
Livro: As Mensagens de Deus Pai para Santa Catarina de Siena - Parte 5 - Final



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 7.260.417
Visitas Únicas Hoje: 893
Usuários Online: 263