Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 5.463.174 Visitas Únicas Hoje: 1.350
Usuários Online: 185
Sistema de Busca
Documento sem título

Qual a aparição de Nossa Senhora mais importante na História?

Medjugorje

Fátima














Newsletter Espacojames
Receba nossas atualizações diretamente no seu Email - Grátis!
 

Curiosidades




Salvar em PDF






Visto: 5319 - Impresso: 303 - Enviado: 24 - Salvo em Word: 990
Postado em: 20/06/12 às 15:40:07 por: James
Categoria: Curiosidades
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=177&id=9869
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Curiosidades

Pesquisa espacojames: Série de três artigos com as sete maravilhas do mundo antigo, sete maravilhas do mundo medieval e as sete maravilhas do mundo moderno na qual o Brasil entra com o Cristo Redentor.

--



Existem diversas listas sobre as "(sete) maravilhas do mundo medieval" da Idade Média. Mas é pouco provável que estas listas surgiram nessa época, porque a palavra "medieval" foi introduzida na época do Iluminismo e o conceito da "Idade Média" tornou-se popular só a partir do século XVI. O dicionário Brewers Dictionary of Phrase & Fable sugere tratá-las como listas desenvolvidas após a Idade Média.

Muitas das estruturas contidas nestas listas foram construídas antes da Idade Média, mas eram bem conhecidas.[3] As listas levam nomes como "Maravilhas da Idade Média" (implicando nenhuma limitação específica para sete), "Sete Maravilhas da Idade Média", "Patrimônio Medieval" e outras denominações.

Os representantes mais comuns das sete maravilhas da Idade Média são: 

1) Stonehenge
2) Coliseu de Roma
3) Catacumbas de Kom el Shoqafa
4) Torre de Porcelana de Nanquim
5) Muralha da China
6) Torre de Pisa
7) Basílica de Santa Sofia

--

1) Stonehenge, Reino Unido

O Stonehenge é uma estrutura composta, formada por círculos concêntricos de pedras que chegam a ter cinco metros de altura e a pesar quase cinquenta toneladas, onde se identificam três distintos períodos construtivos:

 

O chamado Período I (c. 3100 a.C.), quando o monumento não passava de uma simples vala circular com 97,54 metros de diâmetro, dispondo de uma única entrada. Internamente erguia-se um banco de pedras e um santuário de madeira. Cinquenta e seis furos externos ao seu perímetro continham restos humanos cremados. O círculo estava alinhado com o pôr do Sol do último dia do Inverno, e com as fases da Lua.

Durante o chamado Período II (c. 2150 a.C.) deu-se a realocação do santuário de madeira, a construção de dois círculos de pedras azuis (coloridas com um matiz azulado), o alargamento da entrada, a construção de uma avenida de entrada marcada por valas paralelas alinhadas com o Sol nascente do primeiro dia do Verão, e a ereção do círculo externo, com 35 pedras que pesavam toneladas. As altas pedras azuis, que pesam quatro toneladas, foram transportadas das montanhas de Gales a cerca de 24 quilômetros ao Norte.

No chamado Período III (c. 2075 a.C.), as pedras azuis foram derrubadas e pedras de grandes dimensões (megálitos) - ainda no local - foram erguidas. Estas pedras, medindo em média 5,49 metros de altura e pesando cerca de 25 toneladas cada, foram transportadas do Norte por 19 quilômetros. Entre 1500 a.C. e 1100 a.C., aproximadamente sessenta das pedras azuis foram restauradas e erguidas em um círculo interno, com outras dezenove, colocadas em forma ferradura, também dentro do círculo.

--

2) Coliseu de Roma, Itália

O Coliseu, também conhecido como Anfiteatro Flaviano, deve seu nome à expressão latina Colosseum (ou Coliseus, no latim tardio), devido à estátua colossal de Nero, que ficava perto a edificação. Localizado no centro de Roma, é uma excepção de entre os anfiteatros pelo seu volume e relevo arquitectónico. Originalmente capaz de albergar perto de 50 000 pessoas, e com 48 metros de altura, era usado para variados espetáculos. Foi construído a leste do Fórum Romano e demorou entre oito a dez anos a ser construído.

O Coliseu foi utilizado durante aproximadamente 500 anos, tendo sido o último registro efetuado no século VI da nossa era, bastante depois da queda de Roma em 476. O edifício deixou de ser usado para entretenimento no começo da Idade Média, mas foi mais tarde usado como habitação, oficina, forte, pedreira, sede de ordens religiosas e templo cristão.

Embora esteja agora em ruínas devido a terremotos e pilhagens, o Coliseu sempre foi visto como símbolo do Império Romano, sendo um dos melhores exemplos da sua arquitectura. Actualmente é uma das maiores atrações turísticas em Roma e em 7 de julho de 2007 foi eleita umas das "Sete maravilhas do mundo moderno". Além disso, o Coliseu ainda tem ligações à igreja, com o Papa a liderar a procissão da Via Sacra até ao Coliseu todas as Sextas-feiras Santas.

--

3) Catacumbas de Kom el Shoqafa, Egito

As Catacumbas de Kom el Shoqafa são um sítio arqueológico histórico localizado em Alexandria no Egito, foram descobertas em 28 de setembro de 1900 e são um dos maiores sítios funerários romanos egípcios. O complexo foi construído em fins do século I e foi utilizado até o século IV.

A necrópole consiste de uma série de túmulos Alexandrinos, estátuas e objetos usados no culto funerário do Faraó com influência do período helenístico e do antigo Império Romano. Devido ao período, muitos dos elementos encontrados fundiram tanto em aspectos culturais romanos como em gregos e egípcios; algumas estátuas possuem estilo egípcio,porém ostentam roupas e cabelo do estilo romano, enquanto outras partes são características de um estilo semelhante. Uma escada circular, que muitas vezes foi usada para transportar corpos falecidos, leva onde os túmulos foram uma vez colocados em substrato rochoso durante a idade dos imperadores Antonino (2 º século dC).

O mecanismo foi então utilizado como uma câmara de sepultamento do 2 º século para o 4 º século, antes de ser redescoberto em 1900 quando um burro caiu acidentalmente no acesso. Até o momento, três sarcófagos foram encontrados, juntamente com outros restos humanos e animais, que foram acrescentados posteriormente. Acredita-se que as catacumbas eram destinadas apenas para uma única família, mas não está claro porque o sítio foi expandido de modo a albergar muitas outras pessoas. As Catacumbas de Kom el Shoqafa são também uma das sete maravilhas do mundo medieval. Uma das partes mais assustadoras da catacumbas é o chamado Hall de Caracalla. Segundo a tradição, esta é uma câmara para os homens e os animais que foram massacrados por ordem do Imperador Caracala.

--

4) Torre de Porcelana de Nanquim - Baoensi, China

A Torre de Porcelana (ou Pagode de Porcelana) de Nanjing (chinês:, pinyin: Nánjīng Táo), também conhecida como Baoensi (ou seja "Templo de Gratidão"), é um sítio arqueológico histórico localizado ao Sul do Yangtze em Nanjing, China. Foi construído no século XV como um pagode budista, mas foi grandemente destruído no século XIX, durante a Rebelião Taiping. Contudo, a torre encontra-se atualmente em reconstrução.

 

A torre era octagonal com uma base de cerca de 30m (trinta metros) de diâmetro. Quando foi construída era uma das maiores construções da China, elevando-se a uma altura de quase 80 metros com nove compartimentos e uma escadaria no meio do pagode de quase 40m (quarenta metros). O topo do telhado possuía uma esfera dourada. Originalmente havia planos de adicionar mais compartimentos, de acordo com um missionário americano que visitou Nanjing em 1852. Havia poucos pagodes chineses que ultrapassavam sua altura, como o ainda existente "Pagode Liaodi " do século XI, de cerca de 83m (oitenta e três metros) de altura em Hebei ou o já não existente pagode de madeira da cidade de Changan, do 7º século, com cerca de 100m (cem metros) de altura.

A torre foi construída com blocos de porcelana branca, que, dizia-se, refletia os raios do sol durante o dia e mais de 140 lâmpadas eram penduradas para iluminar a torre. Vidro e cerâmica foram trabalhados na porcelana criando uma mistura de formas verde, amarelo, marrom (castanho) e branco nas paredes da torre, incluindo animais, flores e paisagens. A torre é decorada também com numerosas imagens budistas.

--

5) A Muralha da China

A Muralha da China, Grande Muralha da China ou simplesmente Grande Muralha é uma impressionante estrutura de arquitetura militar construída durante a China Imperial.

Embora seja comum a ideia de que se trata de uma única estrutura, na realidade consiste em diversas muralhas, construídas por várias dinastias ao longo de cerca de dois milênios. Se, no passado, a sua função foi essencialmente defensiva, no presente constitui um símbolo da China e uma procurada atração turística.



As suas diferentes partes distribuem-se entre o Mar Amarelo (litoral Nordeste da China) e o deserto de Góbi e a Mongólia (a Noroeste).

A muralha começou a ser erguida por volta de 221 a.C. por determinação do primeiro imperador chinês, Qin Shihuang. Embora a Dinastia Chin não tenha deixado relatos sobre as técnicas construtivas que empregou e nem sobre o número de trabalhadores envolvidos, sabe-se que a obra aproveitou uma série de fortificações construídas por reinos anteriores, sendo o aparelho dos muros constituído por grandes blocos de pedra ligados por argamassa feita de barro e pasta de farinha de arroz com cal hidratada. Com aproximadamente três mil quilômetros de extensão à época, a sua função era a de conter as constantes invasões dos povos ao Norte

Com a morte do imperador Qin Shihuang, iniciou-se na China um período de agitações políticas e de revoltas, durante o qual os trabalhos na Grande Muralha ficaram paralisados. Com a ascensão da Dinastia Han ao poder, por volta de 206 a.C., reiniciou-se o crescimento chinês e os trabalhos na muralha foram retomados ao longo dos séculos até ao seu esplendor na Dinastia Ming, por volta do século XV, quando adquiriu as atuais feições e uma extensão de cerca de sete mil quilômetros, estendendo-se de Shanghai, a leste, a Jiayu, a oeste, atravessando quatro províncias (Hebei, Shanxi, Shaanxi e Gansu) e duas regiões autônomas (Mongólia e Ningxia).

A magnitude da obra, entretanto, não impediu as incursões de mongóis, xiambeis e outros povos que ameaçaram o império chinês ao longo de sua história. Por volta do século XVI perdeu a sua função estratégica, vindo a ser abandonada.

No século XX, na década de 1980, Deng Xiaoping priorizou a Grande Muralha como símbolo da China, estimulando uma grande campanha de restauração de diversos trechos que, entretanto, foi questionada. A requalificação do monumento para o turismo sem normas para o seu adequado usufruto, aliado à falta de critérios técnicos para a restauração de alguns trechos (como o próximo a Jiayuguan, no Oeste do país, onde foi empregado cimento moderno sobre uma estrutura de pedra argamassada, conduzindo ao desabamento de uma torre de seiscentos e trinta anos), gerou várias críticas por parte de preservacionistas, que estimam que cerca de dois terços do total do monumento estejam em ruínas.

--

6) Torre de Pisa

A torre pendente de Pisa (em italiano Torre pendente di Pisa), ou simplesmente, Torre de Pisa, é um campanário (campanile ou campanário autônomo) da catedral da cidade italiana de Pisa. Está situada atrás da catedral, e é a terceira mais antiga estrutura na praça da Catedral de Pisa (Campo dei Miracoli), depois da catedral e do baptistério.

Embora destinada a ficar na vertical, a torre começou a inclinar-se para sudeste logo após o início da construção, em 1173, devido a uma fundação mal construída e a um solo de fundação mal compactado, que permitiu à fundação ficar com assentamentos diferenciais. A torre atualmente se inclina para o sudoeste.

 

A altura do solo ao topo da torre é de 55,86 metros no lado mais baixo e de 56,70 metros na parte mais alta. A espessura das paredes na base é de 4,09 metros e 2,48 metros no topo. Seu peso é estimado em 14 500 toneladas. A torre tem 296 ou 294 degraus: o sétimo andar da face norte das escadas tem dois degraus a menos. Antes do trabalho de restauração realizado entre 1990 e 2001 a torre estava inclinada com um ângulo de 5,5 graus,[1][2][3] estando agora a torre inclinada em cerca de 3,99 graus.[4] Isto significa que o topo da torre está a uma distância de 3,9 m de onde ele estaria se a torre estivesse perfeitamente na vertical.[5]

Construção

A Torre de Pisa é uma obra de arte em mármore branco, realizada em três fases ao longo de um período de cerca de 177 anos. A construção do primeiro andar começou no dia 9 de agosto de 1173, um período de sucesso militar e prosperidade. Este primeiro andar é uma arcada "cega" articulada por colunas clássicas coroadas com capitéis coríntios.

A torre começou a inclinar-se após a progressão de construção para o terceiro andar em 1178. Isto deveu-se a uma fundação de meros três metros sobre um subsolo fraco e instável, um projecto que falhou desde o início. A construção foi posteriormente paralisada por quase um século, porque o Pisanos estavam continuamente envolvidos em batalhas com Génova, Lucca e Florença. Este tempo permitiu ao solo subjacente ajustar-se. Caso contrário, a torre de Pisa quase certamente teria sido derrubada. Em 1198 os relógios foram temporariamente colocados no terceiro andar da construção inacabada.

Em 1272 a construção foi reiniciada por Giovanni di Simone, arquitecto do Camposanto. Em um esforço para compensar a inclinação, os engenheiros construíram andares com um lado mais alto do que o outro. Isso fez a torre começar a inclinar-se em outra direção. Devido a isso, a torre é realmente curva.[6] A construção foi interrompida novamente em 1284, quando os Pisanos foram derrotados pelos Genoveses, na Batalha de Meloria.

O sétimo andar foi concluído em 1319. A sino-câmara acabou por não ser adicionada até meados de 1372 e foi construída por Tommaso di Andrea Pisano, que conseguiu, por sua vez, harmonizar os elementos góticos da sino-câmara com o estilo românico da torre. Há sete sinos, um para cada nota da escala musical. O maior deles foi instalado em 1655.

Depois de uma fase de reforço estrutural (entre 1990-2001),[7] a torre está actualmente[quando?] em fase de restauração gradual da superfície, a fim de reparar os danos visuais, devidos principalmente à corrosão e escurecimento. Estes são, particularmente, os pontos mais problemáticos, devido à idade da torre e à sua particular exposição ao vento e à chuva (corrosão).[8]

--

7) Basílica de Santa Sofia, Turquia

A Basílica de Santa Sofia, também conhecida como Hagia Sophia (grego: Άγια Σοφία Hagia Sophia, que significa "Sagrada Sabedoria"; Ayasofya em turco) é um imponente edifício construído entre 532 e 537 pelo Império Bizantino para ser a catedral de Constantinopla (atualmente Istambul, na Turquia) e que foi convertido em mesquita em 1453 até ser transformado em museu, em 1935.



A primeira grande igreja no local foi construída pelo Imperador Constâncio, filho de Constantino o Grande, mas foi destruída durante a Revolta de Nika de 532. O edifício foi reconstruído em sua forma atual entre 532 e 537 sob a supervisão pessoal do imperador Justiniano I. É considerada o exemplo principal da arquitectura bizantina. De grande importância artística, seu interior foi decorado com mosaicos e colunas e esculturas de mármore. A riqueza e o nível artístico da basílica teria levado Justiniano a dizer Νενίκηκά σε Σολομών ("Salomão, eu te superei!").

--

Observação:

Além das "(Sete) Maravilhas da Idade Média", existem listas adicionando ainda mais itens, entre outros, citamos dois exemplos como:

Abadia de Cluny, Borgonha

A Abadia de Cluny, localizada na Borgonha, foi construída no século X e exerceu profunda influência na cristandade dos séculos posteriores, inclusive além de suas fronteiras. Na Abadia de Cluny reuniam-se os eclesiásticos que lutavam pelo restabelecimento do poder divino no Sacro Império Romano Germânico, iniciando o processo que daria origem à Concordata de Worms em 1122, a qual consagrou a supremacia dos eclesiásticos sobre os imperadores, encerrando a chamada Questão das Investiduras.

As igrejas desse período deviam conter relíquias santas. Portanto, uma igreja que contivesse um certo número de relíquias estaria favorecida não só porque atraía um grande número de fiéis, mas também devido a quantidade de ofertas. Daí a popularidade dessa igreja.

Guilherme I, o Pio (893 - 918) foi Conde de Auvergne, Conde palatino da Borgonha, Duque da Aquitânia e foi também o fundador desta abadia de Cluny em 11 de Setembro de 910.

 

--




Taj Mahal, Agra, Índia


O Taj Mahal (em persa تاج محل) é um mausoléu situado em Agra, uma cidade da Índia e o mais conhecidodos monumentos do país. Encontra-se classificado pela UNESCO como Património da Humanidade. Foi recentemente anunciado como uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo Moderno em uma celebração em Lisboa no dia 7 de Julho de 2007.

A obra foi feita entre 1630 e 1652 com a força de cerca de 20 mil homens,trazidos de várias cidades do Oriente, para trabalhar no sumptuoso monumento de mármore branco que o imperador Shah Jahan mandou construir em memória de sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam, a quem chamava de Mumtaz Mahal ("A jóia do palácio"). Ela morreu após dar à luz o 14º filho, tendo o Taj Mahal sido construído sobre seu túmulo, junto ao rio Yamuna.

Assim, o Taj Mahal é também conhecido como a maior prova de amor do mundo, contendo inscrições retiradas do Corão. É incrustado com pedras semipreciosas, tais como o lápis-lazúli entre outras. A sua cúpula é costurada com fios de ouro. O edifício é flanqueado por duas mesquitas e cercado por quatro minretes.

Supõe-se que o imperador pretendesse fazer para ele próprio uma réplica do Taj Mahal original na outra margem do rio, em mármore preto, mas acabou deposto antes do início das obras por um de seus filhos.

--

Continua...

 



Fonte: http://www.dannybia.com/danny/cur_bibl/as_sete_maravilhas_mundo_medieval.htm











Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 20/06/12 às 15:40:07 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.




LEIA TAMBÉM










Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES