Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 5.342.102 Visitas Únicas Hoje: 1.760
Usuários Online: 300
Sistema de Busca
Documento sem título

Qual a aparição de Nossa Senhora mais importante na História?

Medjugorje

Fátima














Newsletter Espacojames
Receba nossas atualizações diretamente no seu Email - Grátis!
 

Artigos James




Salvar em PDF






Visto: 4651 - Impresso: 142 - Enviado: 27 - Salvo em Word: 69
Postado em: 28/11/10 às 18:48:18 por: James
Categoria: Artigos James
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=104&id=6746
Marcado como: Artigo Importante
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos James

Paz,

Há muito tempo tenho esta dúvida, o que fazer quando os casais se separam, o que a Igreja fala sobre isso? Os casais separados podem comungar?

Resolvi então procurar um Bispo de minha cidade e ele tirou algumas de minhas dúvidas, tentarei através deste artigo passar aos irmãos que vivem hoje em segunda união.

Primeiro: NÃO EXISTE SEPARAÇÃO:  “O que Deus uniu, não separe o homem...”.

Mesmo separada, a pessoa permanece ligada a outra pelo resto da vida, a Igreja só pode anular um casamento mediante duas situações:

1) Se os cônjuges foram casados forçadamente: Muitos pais tradicionais forçam os seus filhos a se casarem conforme suas leis, tradições ou linhagem, neste caso o casamento pode ser anulado.

2) Se os cônjuges casarem sem amor: Neste caso não há porque permanecerem  juntos, e o casamento pode ser anulado.

Lembramos que os procedimentos acima serão julgados pelo Tribunal Eclesiástico do Matrimônio, que existe em cada diocese, aconselho a procurarem um padre e explicarem toda a situação e o mesmo saberá quais os procedimentos a serem tomados. Pois cada caso é um caso!

Segundo: A COMUNHÃO:

Os casais mesmo separados, poderão receber os Sacramentos no caso de viverem como irmãos, como explica o saudoso Pontífice:


A reconciliação pelo sacramento da penitência – que abriria o caminho ao sacramento eucarístico – pode ser concedida só àqueles que, arrependidos de ter violado o sinal da Aliança e da fidelidade a Cristo, estão sinceramente dispostos a uma forma de vida não mais em contradição com a indissolubilidade do matrimônio. Isso tem como conseqüência, concretamente, que quando o homem e a mulher, por motivos sérios – quais, por exemplo, a educação dos filhos – não se podem separar, «assumem a obrigação de viver em plena continência, isto é, de abster-se dos atos próprios dos cônjuges» (idem).


João Paulo II afirma também que não se pode fazer qualquer tipo de celebração em uma segunda união:


Igualmente o respeito devido quer ao sacramento do matrimônio quer aos próprios cônjuges e aos seus familiares, quer ainda à comunidade dos fiéis proíbe os pastores, por qualquer motivo ou pretexto mesmo pastoral, de fazer em favor dos divorciados que contraem uma nova união, cerimônias de qualquer gênero. Estas dariam a impressão de celebração de novas núpcias sacramentais válidas, e conseqüentemente induziriam em erro sobre a indissolubilidade do matrimonio contraído validamente” (idem).

Ou seja, um casal separado  tem que se manter casto (Sem relação sexual), podem vive juntos como irmãos na mesma casa ou em casas diferentes, o que não devem é tentar manter relações fora do matrimônio, pois comentem adultério (pecado gravíssimo), sendo assim, não podem e nem devem comungar.

A única forma seria confessar-se sempre antes de receber a comunhão, e ter na mente o propósito de não voltar a pecar novamente (cometer novamente o adultério). Pecar consciente e se confessar já com o propósito de pecar novamente é abominável aos olhos de Deus. A confissão é séria! Temos que lutar contra o inimigo e nos arrependermos de verdade, procurando jamais pecar novamente.

Sabemos que a Igreja gostaria que todos os casais separados tentassem uma reconciliação, pois juraram perante Deus e a igreja, nada melhor do que um tempo para esfriar a cabeça e se unirem novamente.

PARA OS CASAIS EM SEGUNDA UNIÃO

Existem muitos casais em segunda união que vivem felizes, mesmo sabendo que estão vivendo em desacordo com as Leis de Deus, e isto será cobrado!.

O Casamento na Igreja é uma relação única entre duas pessoas e duradoura pelo resto da vida, mesmo assim, muitos casais separados casam-se no civil, que nada mais é do que um contrato feito pela sociedade e para a sociedade, não tem nada a ver com as leis do Senhor.

Só fiquem atentos aos sacramentos principalmente o da comunhão, comungue apenas espiritualmente (...não receber a hóstia) e tenha ciência que estão vivendo em adultério pelo resto da vida, por isso aconselho a confessar-se sempre quando puder.

Procurem um padre para maiores esclarecimentos. Tentem uma reconciliação para viverem em perfeita união com as leis de Deus.

Fiquem com Jesus e o amor de Maria Santíssima. 


 



Fonte: por james - www.espacojames.com.br











Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 28/11/10 às 18:48:18 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.




LEIA TAMBÉM








Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES