Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 5.584.641 Visitas Únicas Hoje: 1.433
Usuários Online: 232
Sistema de Busca
Documento sem título

Qual a aparição de Nossa Senhora mais importante na História?

Medjugorje

Fátima














Newsletter Espacojames
Receba nossas atualizações diretamente no seu Email - Grátis!
 

Artigos
Artigos sobre diversos temas, todos relacionados a igreja e o nossa vida cristã.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1125 - Impresso: 41 - Enviado: 12 - Salvo em Word: 32
Postado em: 29/07/09 às 10:12:59 por: James
Categoria: Artigos
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=1&id=2029
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos

Perdi a conta de quantas vezes participei de passeatas contra o Fundo Monetário Internacional, FMI, ajudei organizar um plebiscito para verificar a nossa dívida externa, cujo órgão regulador era o FMI. Confesso ter sofrido uma terrível frustração com as notícias dos últimos dias: “Brasil, agora, credor do FMI”.

Qual era a nossa grande interrogação como Igreja e os associados a nós, os partidos de esquerda, sobretudo o PT? O FMI nos impõe uma política fascista, onde pagamos uma dívida inexistente, com a miséria do nosso povo aos poderosos deste mundo! Achávamos que éramos escravos nas mãos das grandes nações, um pequeno bloco que detinha o poder sobre todo o mundo e era isso mesmo, não estávamos errados. Erramos quando acreditamos nas ideologias, quando achamos que a esquerda ou à direita iriam consertar o mundo, quando confundimos o Evangelho com partidos. Agora temos os resultados, contudo o mais estranho é que ninguém questiona, nem padre, nem pastor, nem os críticos de outrora: Frei Beto, Leonardo Boff, Deputados, Senadores, etc.

Tomemos o problema pela raiz. As nossas queixas, como já aludi acima, eram que o Brasil foi roubado por muitos anos pelas nações “poderosas”, nosso povo não usufruía das riquezas que produzíamos porque o interesse internacional mandava na política econômica. Tudo isso, acredito que era verdade, pelo menos em parte, porque a julgar pelos fatos recentes, começo também a ter algumas dúvidas.

Ora, se o FMI era este vilão e não sabemos até agora se foi reestruturado na sua filosofia, continua sendo uma Instituição com fins espúrios, pelo menos era o que dizíamos anos atrás. Se assim for, o Brasil acaba de se tornar um País bastardo, pois entra num clube que compactua com a miséria dos irmãos, ao emprestar US$ 4,5 (quatro bilhões e meio de dólares) para os países pobres. Será que agora nos tornamos generosos ou simplesmente estamos fazendo o “joguinho” que antes criticávamos? Logo o Presidente Lula e seu grupo “que tanto ama os pobres”, emprestar dinheiro via FMI? Não é querer tratar na mesma moeda (injustiça) os nossos irmãos em dificuldades? Censura que tanto praticamos no passado.

“O objetivo é ajudar países mais pobres”, esta é a desculpa. Por que não ajudar sem a interferência do FMI? Talvez o pensamento mais apropriada para isso seja de Paulo Freire, que em outras palavras dizia: “o oprimido está sempre à espera de ser opressor”. De fato, o oprimido que não é forjado na ética e para nós cristãos, no Evangelho, só espera o dia de “se dar bem na vida”, não importa como.

Será que se o Presidente da República fosse Fernando Henrique ou outro, estaríamos tão pacatos como agora? Se sim ou não, duas conclusões poderíamos tirar. No primeiro caso, se fosse o Presidente de direita. Diríamos, em coro, que o Brasil agora se tornou opressor, deveríamos nos envergonhar. No segundo caso, pensando ainda num Presidente de direita, ficaríamos calados, demonstrando cabalmente que nossas convicções não eram legítimas, mas interesseiras.

Sendo um Presidente de esquerda e crítico feroz do sistema, cujo FMI era o maior representante, também podemos tirar duas conclusões, que sinceramente acredito sejam estas, mas alguém pode me provar o contrário. Primeiro, o Presidente, seu partido e coligados, alguns membros da Igreja, não brigaríamos porque realmente os pobres seriam objeto de libertação (pois os países que receberão os empréstimos são mais pobres do que nós), mas era uma bandeira simplesmente partidária de busca de poder, portanto, nunca este governo quando oposição quis realmente fazer justiça, mas simplesmente conquistar o domínio. Segunda opção é que o governo se converteu aos ricos, “descobrindo” que suas lutas de outrora na oposição foram desnecessárias, estávamos errados.

Se olharmos dentro do próprio País estas marcas do “fascismo”, veremos quanto os bancos concentraram seu poder econômico nos últimos seis anos, bancos que eram considerados os vilões nos governos passados, agora são heróis. O certo é que Lula é o primeiro Presidente brasileiro a emprestar dinheiro para o FMI, apesar disso demonstrou seu preconceito contra os ricos brancos de olhos azuis, ao afirmar que são os responsáveis pela atual crise mundial. Pode até ser, então por que se misturar com eles?


Pe. Crispim Guimarães
Coordenador de Pastoral da Diocese de Dourados


www.cleofas.com.br











Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 29/07/09 às 10:12:59 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.




LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES