Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 6239 - Após polêmica, Polônia retira cruz do palácio presidencial
Artigo visto 1797 vezes




Visto: 1797
Postado em: 20/09/10 às 10:49:15 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=6239
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Apostasia na Igreja e no Mundo
17.09.2010 - Funcionários do palácio presidencial da Polônia retiraram nesta quinta-feira, sem alarde, a polêmica cruz de madeira colocada no local em memória ao presidente Lech Kaczynski, morto em acidente aéreo em abril passado.

Tentativas anteriores de remover a cruz de madeira provocaram grandes reações e a polêmica dividiu o país. A cruz foi colocada perto do altar, na capela do palácio, e depois será transferido para uma igreja próxima.

A cruz foi instalada por grupos de escoteiros no último dia 15 de abril, cinco dias depois da queda do avião presidencial no aeroporto russo de Smolensk. O presidente, sua mulher Maria e vários membros do alto escalão político e militar da Polônia participariam de uma cerimônia no cemitério de Katyn, onde em 1940 foram assassinados 20 mil oficiais poloneses por ordem de Stalin. Todas as 96 pessoas a bordo morreram.

Desde então, a cruz se tornou uma espécie de lugar de peregrinação para centenas de milhares de cidadãos e ainda são muitos os poloneses que depositam flores e velas em memória dos mortos.

O novo governo, da oposição, queria há meses retirar a cruz.

Até a Igreja Católica se dividiu na polêmica. Embora muitos sacerdotes considerem que a cruz deveria permanecer em frente ao palácio, outros acreditam que é melhor levá-la a um templo perante o temor de que possa se tornar um símbolo do falecido Kaczynski.

Fonte: UOL noticias/folha

------------------------------------------------------------------------------------

Nota de  www.rainhamaria.com.br

Arcebispo de Valladoli: A Cruz não fere ninguém, somente é sinal de amor e paz

27.11.2008 - O Arcebispo de Valladoli, Dom Bráulio Rodríguez, assinalou que "em uma cultura como a cristã, o crucifixo não vai ferir ninguém" já que a Cruz é um sinal de "amor e paz", ao referir-se à sentença de um tribunal desta cidade que obriga a retirar o crucifixo de uma escola.

Em declarações a Rádio Vaticano recolhidas por Europa PRESS, o Prelado precisou que com esta sentença que vulnera a liberdade religiosa e é sinal de um laicismo cada vez mais radical, "qualquer símbolo religioso poderia ser suprimido e retirado de qualquer lugar" e pôs como exemplo a cidade de Bruxas, em Bélgica, "onde há esquinas, ruas e cruzamentos com pequenas imagens da Virgem, de Cristo e as pesoa não religiosa, não cristã, não se queixa disso".

Para o Arcebispo, a este passo se poderia chegar inclusive a um tempo em que os fiéis tenham que pedir permissão inclusive para dizer que acreditam em Deus e em Jesus Cristo. "Eu quero poder seguir mostrando os símbolos religiosos, porque me parece que também isto forma parte da liberdade religiosa que todos queremos", concluiu.


www.rainhamaria.com.br





LEIA TAMBÉM
SUPOSTO ATENTADO NÃO PREOCUPA PAPA
PAPA AOS ANGLICANOS: PROCLAMAR A UNICIDADE DE CRISTO
Abusos sexuais: Igreja não vigiou suficientemente, reconhece Papa
APELO DO PAPA PELA PAZ NA ÍNDIA, AFEGANISTÃO E PAQUISTÃO
Site votopelavida.com denuncia PT e promoção do aborto
Confessor da Madre Teresa: Era o lápis na mão de Deus
Bebê volta à vida com o abraço da mãe
Superbactéria sul-asiática faz a primeira vítima
Cientistas: superbactéria é "bomba relógio" e exige ação global



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.075.403
Visitas Únicas Hoje: 495
Usuários Online: 191