Espacojames



Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 16160 - O jejum nas Sagradas Escrituras
Artigo visto 224




Visto: 224
Postado em: 21/02/21 às 20:42:54 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=16160
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque


Expiação, reforço da oração, preparação para receber graças

Por jejum se entende comumente privar-se de comida ou bebida, durante um ou mais dias, de sol a sol. Os ocidentais de hoje, ainda que sejam cristãos, o praticam pouco. Valorizam a moderação no comer e beber, mas o jejum lhes parece prejudicial à saúde ou não entendem direito sua utilidade espiritual. É um comportamento oposto ao que os historiadores das religiões enfrentam: por motivos de ascética, purificação, tristeza, oração, o jejum tem um lugar muito importante nos ritos religiosos.

Antigo Testamento

No Antigo Testamento, Moisés o pratica para dispor o corpo e a alma para receber a Lei de Deus nos Mandamentos: “Permaneceu com o Senhor quarenta dias e quarenta noites, sem comer pão e sem beber água” (Êx 34, 28). É uma prática voluntária para humilhar-se diante de Deus, para livrar-se de dores e preocupações, para afastar as calamidades, para ser escutados por Deus, reforçando a oração com um sacrifício pessoal.

Para os judeus, está previsto por lei somente “o grande jejum”, no dia da Expiação, “Yom Kippur” (Lv 16, 29-31), que era celebrado no equinócio de outono. Esta prática era uma condição de pertencimento ao povo de Deus (Lv 23, 29); durava, como o repouso absoluto, o dia inteiro, e os transgressores recebiam a pena capital.

Na época de Jesus, alguns judeus jejuavam por devoção pessoal, como a anciã Ana, que aparece na apresentação de Jesus no tempo. Reforçava, com o jejum, a súplica a Deus para que enviasse o Messias à terra: “Não se afastava do templo, servindo a Deus noite e dia com jejuns e orações” (Lc 2, 37). Nesta linha se encontram os discípulos de João Batista e os fariseus, alguns dos quais jejuavam duas vezes por semana (Lc 18, 12).

Jesus

Também Jesus jejuou durante 40 dias e 40 noites. Seu jejum tem um significado novo: enquanto Moisés, jejuando, se prepara para receber a revelação divina, Jesus é a própria Revelação, porque é Deus que se manifesta em uma natureza humana, e jejua para merecer que os que haviam escutado a sua Palavra tivessem força para abrir-lhe o coração.

O jejum realizado pelos cristãos conserva o significado dos jejuns realizados no Antigo Testamento: expiação, reforço da oração, preparação para receber graças. Mas acrescenta-se aqui o significado do jejum realizado por Jesus: é uma forma concreta de aderir ao Senhor e ao seu sacrifício para completar em nossa carne o que falta à Paixão de Cristo (nossa participação) a favor da sua Igreja, para a conversão de muitos. Aos que perguntavam por que os apóstolos não conseguiam expulsar demônios, Jesus responde que certa espécie de demônio só se expulsa com oração e jejum (Mt 17, 21).

Igreja

A Igreja apostólica conserva os costumes judaicos do jejum, realizando-o com o espírito concreto de Jesus. Os apóstolos jejuam em algumas circunstâncias para preparar-se para conhecer a vontade de Deus e também para comunicar, com maior adesão ao Senhor, a graça da ordem sagrada: “Enquanto eles estavam celebrando o culto ao Senhor e jejuando, o Espírito Santo disse: ‘Reservai para mim Barnabé e Saulo, para a obra à qual os chamei’. Então, depois de ter jejuado e orado, impuseram-lhes as mãos e os despediram” (Atos 13, 2-3). Assim também fazem Paulo e Barnabé, quando nomeiam os presbíteros nas diversas igrejas: “Designaram em todas as igrejas alguns anciãos e, depois de ter orado e jejuado, confiaram-nos ao Senhor, em quem haviam acreditado” (Atos 14, 23). Paulo não se contenta com sofrer fome e sede quando as circunstâncias o exigem, mas acrescenta jejuns repetidos (2 Cor 6, 5; 11, 27).

É por isso que a Igreja considera a Quaresma como um tempo de florescimento espiritual, como uma nova primavera. Por meio do jejum e das práticas penitenciais realizadas em comunhão com Jesus, muitos recebem a força para abrir-lhe o coração e converter-se.


Fonte: www.aleteia.org



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!

Lenço Branco de N. Senhora
Saiba o que é, como fazer e as orações necessárias.
Óleo de São Rafael e Santa Filomena
Saiba mais sobre este santo remédio em tempos difícies
As 15 Orações de Santa Brígida
As promessas de Jesus para a alma que rezar estas orações.
Jesus eu Confio em vós
Nada negarei a alma que às 3 hs da tarde recitar minhas orações
Devoção às Gotas de Sangue de Cristo
Será livrado das penas do Purgatório.
Para os irmãos protestantes
Foi no colo de uma mulher que Deus colocou toda esperança do mundo



Total Visitas Únicas: 8.691.976
Visitas Únicas Hoje: 600
Usuários Online: 195