Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 15398 - A carta que São Luís Gonzaga escreveu à mãe antes de morrer
Artigo visto 471 vezes




Visto: 471
Postado em: 26/07/19 às 01:31:23 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=15398
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

"A vossa carta encontrou-me ainda vivo na região dos mortos; mas agora espero ir em breve louvar a Deus eternamente na região dos vivos"

São Luís Gonzaga partiu deste mundo aos 23 anos de idade e nos deixou uma pergunta que sempre o acompanhou quando tinha algo importante a fazer: “De que serve isto para a eternidade?

Padroeiro da juventude e dos estudantes, foi e é modelo de pureza e desprendimento para todos os jovens, em meio às muitas vaidades e tentações em que vivia como jovem de família rica da Itália.

Antes de morrer, ele escreveu à sua mãe a seguinte carta:

A graça e a consolação do Espírito Santo estejam sempre convosco. A vossa carta encontrou-me ainda vivo na região dos mortos; mas agora espero ir em breve louvar a Deus eternamente na região dos vivos. Pensava até que, a esta hora, já teria dado esse passo.

Se a caridade, segundo São Paulo, ensina a chorar com os que choram e a alegrar-se com os que estão alegres, muito grande deve ser a alegria de Vossa Senhoria, pela graça que Deus Vos concede na minha pessoa, chamando-me à verdadeira alegria e dando-me a segurança de não poder perdê-Lo jamais.

Confesso-vos, ilustríssima Senhora, que me perco e arrebato na contemplação da divina bondade, mar sem praia e sem fundo, que me chama a um descanso eterno por um trabalho tão breve e pequeno; que me convida e chama ao Céu para dar-me ali aquele soberano bem que tão negligentemente procurei, e que me promete o fruto daquelas lágrimas que tão parcamente derramei.

Por conseguinte, ilustríssima Senhora, considerai bem e ponde todo o cuidado em não ofender esta bondade de Deus, como certamente aconteceria se viésseis a chorar como morto aquele que vai viver na contemplação de Deus e que maiores serviços vos fará com as suas orações do que nesta terra vos prestava.

A nossa separação será breve; lá no Céu nos tornaremos a ver; lá seremos felizes e viveremos para sempre juntos, porque estaremos unidos ao nosso Redentor, louvando-O com todas as forças da nossa alma e cantando eternamente as suas misericórdias. Se Deus toma novamente o que nos tinha dado, não o faz senão para o colocar em lugar mais seguro e ao abrigo de qualquer perigo, e para nos dar aqueles bens que acima de tudo desejamos.

Digo tudo isto para que vós, Senhora minha Mãe, e toda a família, aceiteis a minha morte como um dom precioso da graça. A vossa bênção de mãe me assista e me ajude a alcançar com felicidade o porto dos meus desejos e esperanças. Eu vos escrevo com tanto maior prazer quanto é certo que não me resta outra ocasião para vos testemunhar o respeito e o amor filial que vos devo.

___________

Fragmento da Acta Sanctorum, Iuni, 5,578 – Século XVI


Fonte: www.aleteia.org





LEIA TAMBÉM
10 dicas de São Bento para melhorar sua vida diária
A santa que acreditava que Deus não via os pecados cometidos à noite
Governador do Texas assina lei para proteger bebês que sobreviveram ao aborto
O surpreendente poder espiritual dos sinos das igrejas
Padre, é obrigatório ir à missa todo domingo?
Santa Maria Goretti, mártir da castidade… aos 11 anos de idade!
A carta-testemunho, arrepiante, do assassino de Santa Maria Goretti aos 80 anos
Reconstruindo o rosto de Maria Madalena
As almas dos defuntos andam no meio de nós?



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 7.996.577
Visitas Únicas Hoje: 1.538
Usuários Online: 255