Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 11290 - Governo “tenta” minimizar IMPACTO da aprovação da lei que abre forte precedente para o aborto.
Artigo visto 1718 vezes




Visto: 1718
Postado em: 03/08/13 às 09:12:13 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=11290
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Ministros Alexandre Padilha, da Saúde, Gilberto Carvalho, da Secretaria da Presidência, e Eleonora Menicucci, de Políticas para as Mulheres, explicaram a lei à imprensa.

 
Fonte: Terra
 
Apesar de agora ter força de lei, a oferta de pílula do dia seguinte a vítimas de estupro oferecida por hospitais da rede do Sistema Único de Saúde (SUS) pode ser recusada pelos médicos que atuam nas santas casas de misericórdia, instituições médicas ligadas à Igreja Católica, contrária ao método contraceptivo. Somadas aos hospitais filantrópicos, as santas casas atendem 51% das internações no SUS, segundo o Ministério da Saúde.
 
“A instituição, o hospital, os serviços credenciados ao SUS, é fundamental, eu tenho certeza absoluta, que todos os serviços credenciados ao SUS não vão se negar a atender de forma humanizada, respeitosa, crianças, adolescentes, homens e mulheres vítimas de estupro. Tenho certeza absoluta disso”, afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, em entrevista coletiva.
 
Ele ponderou, no entanto, que a nova lei não afeta a garantia legal que os profissionais de saúde têm de “objeção de consciência”, isto é, podem se negar, de maneira individual, a não realizar o procedimento por não concordar com a prática. Instituições religiosas, sobretudo a Igreja Católica, condenam a pílula do dia seguinte por considerarem o medicamento como abortivo.
 
Para o presidente da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), Etelvino Trindade, a pressão dos profissionais que atuam nas santas casas deverá levá-los a alegar objeção de consciência para negar o procedimento. “Vai haver um problema pragmático real. É claro que vai acontecer”, avalia. Institucionalmente, os hospitais não poderão se negar a prestar os procedimentos estabelecidos em lei.
 
Trindade observa ainda que as santas casas são predominantes em municípios desassistidos por hospitais públicos – onde há uma vulnerabilidade maior das vítimas – e que um descredenciamento da rede SUS por uma eventual desobediência à nova lei não seria uma solução producente. Ele acrescenta ainda que a recusa da aplicação da pílula do dia seguinte em municípios pequenos poderá forçar a jovens que levem adiante uma gestação, já que o medicamento deve ser tomado até 72 horas após o ato sexual.
 
Procurada, a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) não atendeu o Terra até a publicação.


Fonte: http://www.comshalom.org/blog/carmadelio/





LEIA TAMBÉM
No Sudão, o perigo de converter-se ao cristianismo e ser morto por isso.
Polícia abre inquérito para investigar quebra de imagens de santos em Marcha das Vadias no Rio.
Confira imagens do sexto dia da Jornada Mundial da Juventude - 28/07/2013
Confira imagens do quinto dia da Jornada Mundial da Juventude - 27/07/2013
Por que o papa Francisco fascina tanto os jovens?
Vídeo cristão é censurado pelo Facebook e Youtube.
JMJ Rio2013: a luz de Sophie, jovem falecida em acidente rumo ao Rio e citada em oração pelo Papa Francisco.
Presidente Dilma pode aprovar lei abortista assim que a JMJ e visita do Papa Francisco acabar
Confira imagens do quarto dia da Jornada Mundial da Juventude - 26/07/2013



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.008.230
Visitas Únicas Hoje: 1.346
Usuários Online: 222