Espacojames


Página Inicial
Listar Saiba Mais




Artigo N.º 7699 - Meditação nas Sete Dores de Maria
Artigo visto 4030 vezes




Visto: 4030
Postado em: 25/04/11 às 06:13:48 por: James
Categoria: Saiba Mais
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=19&id=7699
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Saiba Mais

Uma linda Meditação das dores de Maria, nos ensinando com cada sofrimento a viver suas virtudes.
Senti grande necessidade de partilhar com meus irmãos esse grande tesouro.

 

PRIMEIRA DOR DE MARIA: APRESENTAÇÃO DE MEU FILHO NO TEMPLO.

Nesta primeira dor, veremos como meu coração foi transpassado por uma espada, quando Simeão profetizou que meu Filho seia a salvação de muitos, mas também serviria para a ruína de outros.

A virtude que aprendereis nesta dor é a santa obediência.
Sede obedientes aos vossos superiores, porque são eles instrumentos de Deus.

Quando soube que uma espada Me atravessaria a alma, desde aquele instante experimentei sempre uma grande dor.

Olhei para o Céu e disse: ‘Em Vós confio.’
Quem confia em Deus jamais será confundido.
Nas vossas penas, nas vossas angústias, confiai em Deus e jamais vos arrependereis deste confiança.
Quando a obediência vos trouxer qualquer sacrifício, confiando em Deus, a Ele entregai vossas dores e apreensões, sofrendo de bom grado por amor.
Obedeçam não por motivos humanos, mas pelo amor Daquele que por vosso amor se fez obediente até a morte de cruz.

 

SEGUNDA DOR DE MARIA: A FUGA PARA O EGITO.

Amados filhos, quando fugimos para o Egito, foi grande dor saber que desejavam matar meu querido Filho, aquele que trazia a salvação!
Não me aflingi pelas dificuldades em terras longínquas, mas por ver meu querido filho inocente, perseguido por ser o Redentor.

Almas queridas quanto sofri nesse exílio!
Porém, tudo suportei com amor e santa alegria por Deus me fazer cooperadora da salvação das almas.

Se fui obrigada a esse exílio, foi para guardar meu filho. Sofrendo provações por aquele que um dia ia ser a chave da mansão da paz.
amados meus, nas maiores provações pode haver alegria quando se sofre para agradar a Deus e por seu amor.

Grando será a vossa recompensa, pelo vosso SIM à vontade de Deus.
Almas queridas, avante! Aprendei comigo a não medir sacrifícios quando se trata da Glória e dos interesses de Jesus, que também não mediu esacrifícios para vos abrir as portas da mansão da paz!



TERCEIRA DOR DE MARIA: PERDA DO MENINO JESUS.

Amados filhos, procurai compeender esta minha imensa dor, quando perdi meu filho adorável por três dias.

Sabia que meu filho era o Messias prometido, que contas daria então a Deus do tesouro que me tinha sido entregue?

Tanta dor e tanta agonia, e sem esperança de encontrá-lo!
Quando O achei no templo, no meio dos doutores, e lhe disse que me havia deixado três dias em aflição, eis o que me respondeu:
‘Eu vim ao mundo para cuidar dos interesses de meu Pai, que está no Céu!’

A esta resposta do meigo Jesus, emudeci e compreendi que sendo o Redentor do gênero humano assim devia proceder, fazendo sua Mãe, desde aquele instante, tomar parte na sua missão redentora, sofrendo pela redenção do gênero humano!
Almas que sofreis, aprendeis nesta minha dor a submeter-vos à vontade de Deus, que muitas vezes vos fere para proveitos de vossos entes queridos.
Aprendei comigo a sofrer e a preferir a vontade de Deus.


QUARTA DOR DE MARIA: DOLOROSO ENCONTRO NO CAMINHO DO CALVÁRIO.

Amados filhos, contemplai e vede se há dor semelhante a esta minha, quando me encontrei com meu divino filho no caminho do Calvário, carregando uma pesada cruz e insultado como se fosse um criminoso.
‘É preciso que o Filho de Deus seja esmagado para abrir as portas da mansão da paz!’

Lembrei-me das suas palavras e eceitei a vontade do Altíssimo, que sempre a minha força em horas tão cruéis como esta.

ao encontrá-lo, seus olhos me fitaram e me fizeram compreender a dor de sua alma. Não pôde me dizer palavra, porém me fizeram compreender que era necessário que unisse a minha à sua grande dor.
Amados meus, a união de nossa grande dor nesse encontro tem sido a força de tantos mártires e de tantas mães aflitas!
Almas que temeis o sacrifício, aprendei qui neste encontro a submeter-vos à vontade de Deus, como eu e meu filho nos submetemos!
Aprendei a calar-vos nos vossos sofrimentos.

No nosso silêcio, nesta dor imensa armazenamos para vos riquezas imensuráveis! As vossas almas hão de sentir a eficácia desta iqueza na hora em que, abatidos pela dor, recorrerdes a Mim, fazendo a meditação deste encontro dolorosíssimo.

O valor do nosso silêncio se converte em força para as almas aflitas, quando nas horas difíceis souberem recorrer à meditação desta dor!
Amados filhos, como é precioso o silêncio nas horas de sofrimentos!
Há almas que não sabem sofrer uma dor física, uma tortura de alma em silêcio: desejam logo contá-la para que todos o lastimem!
Meu Filho e Eu tudo suportamos em silêncio por amor a Deus!
Almas queridas, a dor humilha e é na santa humildade que Deus edifica!
Sem a humildade, trabalhareis em vão; vede pois como a dor é necessária para a vossa santificação.
Aprendei a sofrer em silêncio, como eu e Jesus sofremos neste doloroso encontro no caminho do Calvário.



QUINTA DOR DE MARIA: AOS PÉS DA CRUZ.

Amados filhos, na meditaão desta minha dor encontrareis consolo e força para vossas almas contra mil tentações e dificuldades e aprendereis a ser fortes em todos os combates da vossa vida.
Vede-me aos pés da Cruz, assistindo à morte de Jesus, com a alma e meu coração transpassado com a mais cruel das dores!
Não vos escandalizeis com o que fizeram os judeus!
Pobres judeus, ignorantes uns, de má fé outros, não quiseram crer que Ele era o Messias.

Não podiam comprender que um Deus se humilhasse tanto e que a sua divina doutrina pregava a humildade.
Depois de três horas de tormentosa agonia, meu adoráve Filho morre, deixando-me a alma na mais negra escuridão!
Sem duvidar um só instante, aceitei a vontade de Deus, e no meu doloroso silêncio, entreguei ao Pai minha imensa dor, pedindo cmo Jesus, perdão para os criminosos.

Entretanto, quem me confortou nesta hora angustiosa?Fazer a vontade de Deus foi o meu conforto; saber que o Céu oi aberto para todos os filhos foi o meu consolo!
Amados filhos, sofrer em união com os sofrimentos de Jesus encontra consolo; sofrer por ter feito o bem neste mundo, reebdo desprezo e humilhações encontra força.
Que glória paa vossas almas, se um dia por amar a Deus com todo o vosso coração, fordes também perseguidos!
Aprendei a meditar muitas vezes nesta minha dor, que ela vos dará força para serdes humildes: virtude amada de Deus e dos homens de boa vontade.



SEXTA DOR DE MARIA: UMA LANÇA ATRAVESSA O CORAÇÃO DE JESUS.

Amados filhos, com a alma imersa na mais profunda dor, vi transpassar o coração do meu Filho, sem poder dizer palavra!
Derramei muitas lágrimas…

Só Deus pode compreender o martírio desta hora, na alma e no coração!
Depois depositaram Jesus nos meus braços, não cândido e belo como em Belém…
Morto, chagado, parecendo mais um leproso do que aquele adorável e encantador menino, que tantas vezes apertei no meu coração!
Amados filhos, se Eu tanto sofri, não serei capaz de compreender vossos sofrimentos? Por que então, não recorreis a Mim com mais confiança, esquecidos que tenho tanto valor diante do Altíssimo?

Para corresponderdes porém a tanto amor, sede muito confiantes em Mim, não vos aflingindo nas contrariedades da vida; ao contrário, confiai-me todos os vossos receios e dores, porque eu sei dar em abundância os tesouros do Coração de Jesus!
Nao vos esqueçais, filhos meus, de meditar nesta minha imensa dor, quado estiver pesada a vossa cruz.

Achareis força para sofrer por amor a Jesus que sofreu na cruz a mais infame das mortes.


SÉTIMA DOR DE MARIA: JESUS É SEPULTADO.

Amados filhos, quanta dor quando tive que ver sepultado meu Filho.
Aquanta humilhação meu Filho se sujeitou, deixando-se sepultar sendo Ele mesmo Deus!
Por humildade, Jesus submeteu-se à própria sepultura para depois, glorioso, ressuscitar dentre os mortos!
Bem sabia Jesus o quanto eu ia sofrer vendo-o sepultado; não me poupando quis que eu também fosse participante na sua infinita humilhação!

A humildade não rebaixa o homem, pois Deus Se humilhou até à sepulturae não deixoud e ser Deus.
amados filhos, se quereis corresponder ao amor de Jesus, mostrai-lhe que O amais, aceitando as humilhações.

A aceitação da humilhação vos purifica de toda e qualquer imperfeição e, desprendendo-vos deste mundo, vos faz desejar o Paraíso.
Queridos filhos, apresentei-vos estas minhas sete dores, não para queixar-me, mas somente para mostrar-vos as virtudes que deveis praticar, para um dia estar ao meu lado e ao aldo de Jesus!


ORAÇÃO

Pai cheio de bondade, vosso Filho unigênito desceu á mansão dos mortos e dela surgiu vitorioso: concedei aos vossos fiéis, sepultados com ele no batismo, que pela força de sua ressurreição, participem da vida eterna com Ele. Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.
Salve, ó cruz, única esperança!

Crux, Ave, Spes Única!


Fonte: Do livro Nossa Senhora das Lágrimas





LEIA TAMBÉM
As sete palavras de Jesus na Cruz
Por que o diabo odeia o Rosário?
Qual o papel do Diácono na liturgia?
05 - A Resposta Católica - Espiritismo e os Concílios ( Padre Paulo Ricardo )
O QUE É SEMANA SANTA?
Donizetti: O Padre que teria o dom da bilocação(Capacidade de está em dois lugares ao mesmo tempo)
Crueldade: O apedrejamento Islâmico
História da Pietà
Como foi a morte de São José, pai adotivo de Nosso Senhor?



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.001.359
Visitas Únicas Hoje: 1.017
Usuários Online: 283